A VIOLÊNCIA ANIMADA: NOTAS SOBRE ASSOCIAÇÕES ENTRE A VIOLÊNCIA, O HEROÍSMO E SUA INFLUÊNCIA SOBRE A CRIANÇA

Autores

Palavras-chave:

Desenho animado, violência, super-herói

Resumo

As séries de animação ou desenhos animados que trazem como protagonistas super-heróis são bastante populares e têm em comum a presença de cenas de violência física nos momentos de resolução de conflitos e enquanto ápice da luta pela defesa moral pelo bem-estar da humanidade. Os super-heróis retratados nos desenhos usam uniforme, têm poderes sobre-humanos ou acesso a recursos tecnológicos avançados para combater o crime. Dedicam-se à missão de proteger a humanidade de qualquer ameaça, tendo como mais alto valor a justiça, ainda que isso implique matar pessoas e criaturas, destruir prédios e cometer atos de violência. Pode-se constatar que a associação entre heroísmo e violência física e, até mesmo entre justiça e violência, são aspectos apresentados nos desenhos animados. Este trabalho procura demonstrar, através de revisão bibliográfica, como os atos de violência física estão associados a atos considerados heroicos dentro do universo da trama do desenho animado, apresentando-se como moralmente justificado ou necessário e como isso tem influência na resolução de conflitos reais por parte da criança, além de sua influência no brincar.

Biografia do Autor

Raveni Joazeiro Silva, UESB

Bacharel e licenciada em Psicologia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, pós-graduanda em Psicopatologia Psicanalítica pela Unigrad, polo Vitória da Conquista, Bahia.

Ana Lúcia Castilhano, UESB

Professora do Curso de Psicologia da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Doutora em Educação
pela UFSCar.

Referências

ARISTOTELES, O. Ética a Nicomano. São Paulo: Martin Claret, 2015. 300 p.

BARBOSA JÚNIOR, Alberto Lucena. Arte da animação: técnica e estética através da história. 1. ed. São Paulo: SENAC, 2002. 456 p. ISBN 978-8573592191.

BENELLI, S. J. O internato escolar como instituição total: violência e subjetividade. Psicologia em Estudo, Maringá, ano 2002, v. 7, n. 2, p. 19-29, jul./dez. 2002.

BECKER, E. The denial of death. 1. ed. United States: Free Press, 1973. 336 p..

CAMPBELL, J. O herói de mil faces. 1. ed. São Paulo: Pensamento, 1989. 416 p.

CAPPARELLI, S.; MEURER, F. R.; KASPRZAK, R. G. As narrativas televisivas, sua dimensão mítica e sua importância na subjetivação infantil. Intercom, Rio de Janeiro, ano 1999, 31 out. 2020. Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, p. 1-11. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/427. Acesso em: 25 out. 2020.

FERRARI, I. F. Agressividade e violência. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, ano 2006, v. 18, n. 2, p. 49-62, 2006.

FREUD, S. O mal-estar na civilização. 1. ed. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2011. 95 p.

FREUD, S. Reflexões para os tempos de guerra e morte. In: FREUD, S., Edição standard brasileira das obras psicológicas completas. Vol. XIV. Tradução J. Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1974.

FREUD, S. Totem e tabu. In: FREUD, S., Edição standard brasileira das obras psicológicas completas. Vol. XIII. Tradução J. Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1974.

FREUD, S. Além do princípio de prazer. In: FREUD, S., Edição standard brasileira das obras psicológicas completas. Vol. XVIII. Tradução J. Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

GLAZER, M. P.; GLAZER, P. M. On the trail of courageous behavior. Sociological Inquiry, [S. l.], ano 69, v. 2, p. 276 –295, 1999.

HORA de Aventura. Direção: Larry Leichliter. Produção: Kelly Crews; Pendleton Ward. Estados Unidos: Cartoon Network, 2008. 9 dvds.

KANT, I. Fundamentação da metafísica dos costumes. Coimbra: Atlântida, 1960. 120 p.

KASPRZAK, R. G. Desenhos animados em tempo de violência: uma contribuição para pensar a construção de valores sócio-morais em crianças pré-escolares. Orientador: Clary Milnitsky-Sapiro. 1997. 136 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia do desenvolvimento) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1997.

KINSELLA, E. L.; RITCHIE, T. D.; IGOU, E. R. Attributes and applications of heroes: a brief history of lay and academic perspectives. In: ALISSON, S. T.; GOETHALS, G. R.; KRAMES, R. M. Handobook of heroism and heroic leadership. New York: Toutledge, 2017. p. 19-35.

KLAPP, O. e. Heroes, villains and fools, as agents of social control. American Sociological Review, Estados Unidos, v. 19, n. 1, p. 56-62, 1954.

KOHLOBERG, L. Psicologia del desarrollo moral. Bilbao: Desclée de Brower, 1992. 664 p.

KOLTAI, Catarina. Totem e tabu: um mito freudiano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira , 2010.

KRUG, E. G.; DAHLBERG, L. L.; MERCY, J. A.; ZWI, A. B.; LOZANO, R. World report on violence and health. Geneva: World Health Organization, 2002. 360 p.

LUYTEN, S. B. Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses. 1. ed. São Paulo: Hedra, 2000. 250 p.

MAHFOUD, M. Experiência elementar em psicologia: aprendendo a reconhecer. Brasilia, DF: Universa; Belo Horizonte: ArteSã, 2012. 247p.

MCLUHAN, M. Os meios de comunicação como extensão do homem. São Paulo: Cultrix, 1964. 405 p.

PIAGET, J. O juízo moral na criança. São Paulo: Grupo Editorial Summus, 1994. 302 p.

SOARES, Iasmin Bezerra. Educação, infância e desenhos animados. Orientador: Alessandra Cardozo de Freitas. 2017. 54 f. Monografia (Bacharelado em Pedagogia) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

SOUZA, Leonardo Lemos de; VASCONCELOS, Mario Sergio. Juízo e ação moral: desafios teóricos em psicologia. Psicologia Social. 2009, vol.21, n.3, pp.343-352. ISSN 1807-0310. https://doi.org/10.1590/S0102-71822009000300007.

TOLKIEN, J. R. R. O Senhor dos anéis: o retorno do rei. Tradução Lenita Maria Rímoli Esteves e Amilo Pisseta. 3ª edição. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2002.

TOLKIEN, J. R. R. O hobbit. Tradução Lenita Maria Rímoli Esteves e Amilo Pisseta. 4ª edição. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2009.

TULLOCH, M. I. Evaluating aggression: school students’ responses to television portrayals of institutionalized violence. Journal of Youth and Adolescence, Journal of Youth and Adolescence, v. 24, p. 95-115, 1995.

VOGLER, C. A jornada do escritor: estruturas míticas para escritores. Tradução de Ana Maria Machado. 2.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

ZIMBARDO, P. G. The heroic imagination: a talk with Phil Zimbardo. 2007. Disponível em: https://www.edge.org/3rd_culture/zimbardo07/zimbardo07_index.html. Acesso em 25 de outubro de 2020.

ZIMBARDO, P. G. The banality of heroism. Great Good, Berkeley, p. 1-14, 1 set. 2006. Disponível em: https://greatergood.berkeley.edu/article/item/the_banality_of_heroism. Acesso em: 25 out. 2020.

ZIMBARDO, P. G.; FRANCO, Z. E.; BLAU, K. Heroism: a conceptual analysis and differentiation between heroic action and altruism. Review of General Psychology, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 99–113, 1 jan. 2011.

Downloads

Publicado

2020-12-14