YORUBANTU: POR UMA EPISTEMOLOGIA NEGRA NO CAMPO DOS ESTUDOS LITERÁRIOS NO BRASIL

Autores

  • José Henrique de Freitas Santos Universidade Federal da Bahia (Ufba)

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v2i10.4575

Palavras-chave:

Epistemologia negra, Literatura brasileira, Estudos literários, Lei 10.639, Saberes iorubás e bantu

Resumo

Este artigo deseja discutir a constituição e a influência de uma epistemologia negra no campo dos estudos literários no Brasil. Para isto, serão analisadas algumas heranças yoruba e bantu que constituem esse legado na produção do conhecimento nas áreas da educação, da cultura e da literatura, considerando em especial os conceitos de tempo e espaço. Diferente de uma perspectiva teleológica, os tempos e espaços yoruba e bantu, presentes em expressões artísticas e educacionais diversas, apontam respectivamente no caso iorubano para um tempo-espaço espiralar como em alguns orikis; bem como um espaço-tempo circular como nas rodas de capoeira no caso bantu. Assim, a teoria, a crítica e a historiografia são desafiadas a produzir conceitos e instrumentos para compreender melhor essas expressões ancestrais que compõem o campo dos estudos literários, mas são pouco analisadas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Henrique de Freitas Santos, Universidade Federal da Bahia (Ufba)

Professor adjunto da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Doutor em Letras e Linguística pela Ufba.

 
 

Downloads

Publicado

2019-02-05

Como Citar

Santos, J. H. de F. (2019). YORUBANTU: POR UMA EPISTEMOLOGIA NEGRA NO CAMPO DOS ESTUDOS LITERÁRIOS NO BRASIL. fólio - Revista De Letras, 10(2). https://doi.org/10.22481/folio.v2i10.4575

Edição

Seção

VERTENTES & INTERFACES I: Estudos Literários e Comparados