ORALIDADE E RESISTÊNCIA: A LITERATURA COMO LUGAR DA “MEMÓRIA CULTURAL” NO ROMANCE TEXACO

Autores

  • Lívia Maria da Costa Carvalho Universidade Estadual do Maranhão (Uema)

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v2i10.4579

Resumo

O presente trabalho se estrutura através de uma análise do romance Texaco, do escritor Patrick Chamoiseau. Pensamos, através de imbricações entre memória, oralidade e território, como a identidade cultural da Martinica está disposta e expressa em Texaco. Sendo a Martinica um país que viveu a colonização europeia e teve a escravização negra africana em sua formação cultural, encontram-se neste trabalho leituras sobre o imaginário problemático e conflituoso decorrente da dura escravização colonial.

 
 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Maria da Costa Carvalho, Universidade Estadual do Maranhão (Uema)

Professora do quadro provisório na Universidade Estadual do Maranhão (Uem) - Campus Colinas. Mestra e doutoranda em Teoria da Literatura, pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

 

Downloads

Publicado

2019-02-05

Como Citar

Carvalho, L. M. da C. (2019). ORALIDADE E RESISTÊNCIA: A LITERATURA COMO LUGAR DA “MEMÓRIA CULTURAL” NO ROMANCE TEXACO. fólio - Revista De Letras, 10(2). https://doi.org/10.22481/folio.v2i10.4579

Edição

Seção

VERTENTES & INTERFACES I: Estudos Literários e Comparados