TECNOLOGIA DIGITAL NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA: O KAHOOT! COMO AVALIAÇÃO FORMATIVA

Autores

  • Igor Tairone Ramos dos Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)
  • Denise Aparecida Brito Barreto Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)
  • Cláudia Vivien Carvalho de Oliveira Soares

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v12i2.7659

Palavras-chave:

Ensino de Língua Inglesa; Tecnologia Digital; Avaliação Formativa.

Resumo

O presente trabalho é fruto de um recorte de pesquisa advindo de uma dissertação de mestrado, cuja pesquisa foi realizada numa turma de quarto ano do Ensino Médio, do curso de Informática na Modalidade Integrada do Instituto Federal da Bahia, campus Vitória da Conquista.  O objetivo geral deste artigo foiinvestigar como a Avaliação Formativa, mediada por Tecnologias Digitais, pode potencializar o processo de ensino-aprendizagem de Língua Inglesa. Embora vários aspectos tenham sido abordados na referida dissertação, enfocamos na tecnologia digital e na sua potencialidade para a realização de ensino-aprendizagem de língua inglesa de forma lúdica e eficiente. Com base em autores como Lucena (2004), Brun (2003) e Levy (1999), realizamos uma pesquisa qualitativa de cunho exploratório, cuja coleta de dados se concentrou na coleta de resultados através da aplicação do jogo digital Kahoot! (produção final de uma sequência didática). Percebemos que a tecnologia digital tem a capacidade de contribuir para um ensino de Língua Inglesa de forma dinâmica, além de promover um ambiente lúdico na sala de aula, o que desperta interesse dos alunos em tais atividades, visto que a sociedade está em constante evolução no mundo cada vez mais digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Igor Tairone Ramos dos Santos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Mestrando em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

Denise Aparecida Brito Barreto, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Realizou estágio de pós-doutorado em Educação na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação em Coimbra. Professora plena da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Integrante do Grupo de Pesquisa Linguagem e Educação (GPLEd) cadastrado no CNPQ.

Cláudia Vivien Carvalho de Oliveira Soares

Doutora em Letras pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Professora Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRUN, Milenna. Dificuldades na aprendizagem de línguas e meios de intervenção. 2003. Disponível em: <http://www2.uefs.br/sitientibus/pdf/29/dificuldades_na_aprendizagem_de_linguas.pdf>. Acesso em: 31 de março de 2018.

GARCIA, Paulo Sérgio. A Internet como nova mídia na educação. 2009. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/EAD/NOVAMIDIA.PDF. Acesso em: 13 dez. 2019.

HOWARD, S. K., Chan, A., Mozejko, A. &Caputi, P. Technology practices: Confirmatory factor analysis and exploration of teachers’ technology integration in subject areas, Computers & Education, 90(1): 24—35. 2015.

KIYA, Marcia Cristina da Silveira; DIONIZIO, Fátima Aparecida Queiroz. O uso de Jogos e de atividades lúdicas como recurso pedagógico facilitador da aprendizagem. 2014. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_uepg_ped_pdp_marcia_cristina_da_silveira_kiya.pdf. Acesso em: 09 dez. 2019.

LEVAY, Paula Bastos. Jogos digitais no ensino e aprendizagem de inglês para crianças. 2015. 128 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Gestão em Educação a Distância) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.

LUCENA, Maria InêzProbst. Avaliação no ensino de línguas e contemporaneidade: em busca de uma re-significação. 2004. Disponível em: http://www.leffa.pro.br/tela4/Textos/Textos/Anais/CBLA_VII/pdf/051_lucena.pdf. Acesso em: 14 dez. 2019.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Educação, ludicidade e prevenção das neuroses futuras: uma proposta pedagógica a partir da Biossíntese. In: LUCKESI, Cipriano Carlos (org.) Ludopedagogia — Ensaios 1: Educação e Ludicidade. Salvador: Gepel, 2000.

NÓVOA, A. Os professores e a sua formação. Lisboa: D. Quixote, 1992.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. A www e o ensino de inglês. Rev. bras. linguist. apl., Belo Horizonte , v. 1, n. 1, p. 93-116, 2001 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-63982001000100006&lng=en&nrm=iso>. access on 25 Oct. 2020. https://doi.org/10.1590/S1984-63982001000100006.

PERRENOUD, Phillipe. Avaliação: da excelência à regularização das aprendizagens: entre duas lógicas. Porto Alegre, Artmed, 1998.

PRENSKY, M. Digital Native, digital immmigrants. Digital Nativeimmigrants. Onthehorizon, MCB University Press, Vol. 9, N.5, October, 2001. Disponível em: https://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf. Acesso em: 07 de dezembro de 2019.

SANTOS, Edméa Oliveira dos. Formação de professores e cibercultura: novas práticas curriculares na educação presencial e a distância. Revista da Faeeba: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 11, n. 17, p.113-122, jun. 2012. Semestral.

SANTOS, Eliana Santos de Souza e. O ensino da Língua Inglesa no Brasil. Babel: Revista Eletrônica de Línguas e Literaturas Estrangeiras, Alagoinhas, v. 1, n. 1, p.1-7, 21 out. 2018.

SILVA, Jean Cario da. Produção de jogos digitais por jovens: uma possibilidade de interação com a Matemática. 2016. 227 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

SILVA, Marco. Sala de Aula Interativa. Rio de Janeiro: Quartet, 3ª ed. 2002. 220 p.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2021-02-15

Como Citar

Santos, I. T. R. dos, Barreto, D. A. B., & Soares, C. V. C. de O. (2021). TECNOLOGIA DIGITAL NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA: O KAHOOT! COMO AVALIAÇÃO FORMATIVA. fólio - Revista De Letras, 12(2). https://doi.org/10.22481/folio.v12i2.7659