IDENTIDADES E A DIDATIZAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

  • Ieda Lourdes Gomes de Assumpção Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
  • Maicon Farias Vieira Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
  • Leticia Fonseca Richthofen de Freitas Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Resumo

Este trabalho tem como objetivo investigar como licenciandos de um curso de letras entendem a didática e a didatização como prática pedagógica na perspectiva decolonial. Pretende investigar, também, como a didática pode fomentar uma prática educativa de vanguarda a partir da análise de narrativas sobre como alunos de uma universidade privada lidam com tais conceitos, passam a operar com eles e constroem suas identidades docentes a partir da(s) linguagem(ns). Para tanto, nos embasamos no campo da Linguística Aplicada Indisciplinar, em sintonia com os estudos culturais, tendo como argumento a relação entre a linguagem e a produção de identidades, considerando a função que as narrativas desempenham no processo de construção identitária, no sentido de propor uma organização dos discursos nos espaços sociais. Sendo assim, a metodologia que se propõe está pautada na análise das narrativas dos licenciandos no processo de construção de conhecimentos a partir da utilização da didática. O resultado desta investigação quanto à formação de professores aponta indícios para refletir sobre a perspectiva da decolonialidade e sobre as identidades docentes como reflexo das performances narrativas da formação, das propostas e das estratégias formativas vivenciadas por meio das mediações didáticas promovidas ao longo do curso de formação dos sujeitos de pesquisa.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Docente do Instituto Superior de Formação Humanística da Universidade Católica de Pelotas. Mestre em Saúde e Comportamento. Doutoranda em Letras pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Integrante do GPLANN - Grupo Pesquisa em Linguística Aplicada e Análise de Narrativas- PPGL - UFPel.  Responsável pelo Núcleo de Estudos Pedagógicos do Curso de Pedagogia da UCPel. Interesses: Didática e decolonialidade; Formação de Professores; Pedagogia Universitária e Educação Inclusiva.

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Educação pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (Ifsul) - Campus Pelotas. Doutorando em Letras pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Realizou estágio de Pós-Doutorado em Educação na UFRS e em Linguística Aplicada na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora associada do Centro de Letras e Comunicação e do programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Pesquisadora do Núcleo de Estudos Sobre Currículo Cultura e Sociedade do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS.

Referências

1. ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico: Dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.
2. BAPTISTA, Lívia Márcia Tiba Rádis. (De)Colonialidade da linguagem, lócus enunciativo e constituição identitária em Gloria Anzaldúa: uma “new mestiza”. Polifonia, Cuiabá: PPGEL/UFMT, v. 26, n. 44, p. 123-145, out./dez. 2019.
3. BASTOS, Liliana Cabral; SANTOS, William Soares. A entrevista na pesquisa qualitativa: perspectiva em análise da narrativa e da interação. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2013.
4. CANDAU, Vera Maria. A didática e a formação de educadores – Da exaltação à negação: a busca da relevância. In: _________(Org.). A didática em questão. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 13-24.
5. FABRICIO, Branca Falabella. Linguística aplicada como espaço de “desaprendizagem”: redescrições em curso. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo da (Org.). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2006. p. 45-65.
6. HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.
7. MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Contemporaneidade e construção de conhecimento na área de estudos linguísticos. SCRIPTA, Belo Horizonte: PPGL/PUC Minas, v. 7, n. 14, p. 159-171, 1º sem. 2004.
8. MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Linguística aplicada e vida contemporânea: Problematização dos construtos que têm orientado a pesquisa. In: _________ (Org.). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2006. p. 85-107.
9. MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Práticas narrativas como espaço de construção das identidades sociais: uma abordagem socioconstrucionista. In: RIBEIRO, Branca Telles; LIMA, Cristina Costa; DANTAS, Maria Tereza Lopes(orgs.). Narrativa, Identidade e Clínica. 1. ed. Rio de Janeiro: Edições IPUB/CUCA, 2001. p. 55-71.
10. NÓVOA, António (org.). Vidas de Professores. Porto: Porto Editora, 1995.
11. OLIVEIRA, Luiz Fernandes. O que é uma educação decolonial? Nuevamérica – La revista de la patria grande, Buenos Aires, v. 149, p. 35-39, jan./mar. 2016.
12. OLIVEIRA, Luiz Fernandes; CANDAU, Vera Maria Ferrão. Pedagogia Decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. Educação em Revista, Belo Horizonte: Fae/UFMG, v. 26, n. 1, p. 15-40, abr. 2010.
13. PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira. Manual de pesquisa em estudos linguísticos. São Paulo: Parábola, 2019.
14. PENNYCOOK, Alastair. Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo da (Org.). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2006. p. 67-84.
15. RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.
16. VEIGA NETO, Alfredo. A Didática e as experiências de sala de aula: uma visão pós-estruturalista. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre: FaE/UFRGS, v. 21, n. 2, p. 161-175, jul./dez. 1996
17. WALSH, Catherine. Pedagogía decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re) existir y (re) vivir. Tomo I. Quito : Ediciones Abya-Yala, 2013.
18. WALSH, Catherine. Interculturalidad crítica y educación intercultural. In: Viaña, Jorge Uzieda; Tapia Luis Mealla & ________ (Eds.). Construyendo Interculturalidad Crítica . 1. ed. Bolivia: Instituto Internacional de Integración del Convenio Andrés Bello, 2009. p. 75-96.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
ASSUMPÇÃO, Ieda Lourdes Gomes de; VIEIRA, Maicon Farias; FREITAS, Leticia Fonseca Richthofen de. IDENTIDADES E A DIDATIZAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6574>. Acesso em: 10 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6574.