Conversões entre as representações em linguagem natural e algébrica de função quadrática: uma análise do fenômeno de congruência semântica e equivalência referencial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/intermaths.v1i1.7611

Palavras-chave:

Fenômeno de congruência e não congruência semântica, Equivalência referencial, Conversão, Função quadrática, Livro didático

Resumo

Este artigo, recorte de um estudo de mestrado em Educação Matemática e Tecnológica, objetiva analisar o fenômeno de congruência semântica e equivalência referencial em atividades de conversão do registro em linguagem natural para o registro algébrico em função quadrática apresentadas em um livro didático da 1ª série do ensino médio. A Teoria dos Registros de Representação Semiótica foi o aporte teórico e o olhar metodológico para a análise. Foi analisado apenas o capítulo do livro didático que tratava de função quadrática, contendo 67 questões com um total de 158 itens dentre os quais 46 foram categorizados como conversão da representação em linguagem natural para algébrica, subdivididas quando necessitavam de um registro de representação auxiliar. A análise baseou-se nos três critérios estabelecidos por Duval [2] para a variação de congruência e não congruência semântica: Correspondência semântica dos elementos significantes, univocidade semântica terminal e ordem dentro da organização das unidades e a equivalência referencial. Foram considerados como congruentes os itens que conservassem todos os critérios, e não congruentes os que não conservassem um, dois ou três critérios, sendo respectivamente, baixo, médio e alto grau de não congruência semântica. De maneira geral, pode-se perceber que nesse tipo de conversão existem maior prevalência em atividades de baixo e médio grau de não congruência semântica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreza Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Educação Matemática e Tecnológica pela Universidade Federal de Pernambuco, com início em 2020. Professora substituta de matemática no Colégio de Aplicação – UFPE. Integrante dos grupos de pesquisa SEMEAR, GEPeDiMA e Pró-grandezas.

Rosinalda Teles, Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática e Tecnológica (EDUMATEC) da Universidade Federal de Pernambuco.

Referências

R. Duval, Registros de representação semiótica e funcionamento cognitivo do pensamento, 1993. Tradução: M.T. Moretti. Revista eletrônica de Educação Matemática, Florianópolis, v. 07, n. 2, p. 266-297, 2012. [CrossRef] [Google Scholar]

R. Duval. Semiósis e pensamento humano: registro semiótico e aprendizagens intelectuais (Sémiosis et Pensée Humaine: Registres Sémiotiques et Apprentissages Intellectuels). Tradução de L. F. Levy e M.R. A. da Silveira. São Paulo: Editora Livraria da Física, fascículo I, 2009.

R. Duval, Ver e ensinar a matemática de outra forma: Entrar no modo matemático de pensar: os registros de representações semióticas. In: T.M.M. Campos (org). Tradução: M.A. Dias. São Paulo: PROEM, 2011.

C. R. Flores; M. T. Moretti, O funcionamento cognitivo e semiótico das representações gráficas: Ponto de análise para aprendizagem Matemática”. REUNIÃO ANUAL DA ANPED, GT19: EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 28., 2005, Caxambu. Anais... Caxambu: ANPED. p.1-13. Dis-

ponível em: <http://www.ufrrj.br/emanped/paginas/conteudo_producoes/docs_28/funcionamento.

pdf>. Acesso em: 11 dez. 2019.

G. Iezzi; O. Dolce; D. Degenszajn; R. Périgo; N. Almeida, Matemática: Ciência e Aplicações. São Paulo: Saraiva, v.1, 9ª ed., 2016.

E. H. Lourenço; P. C. Oliveira, Congruência semântica e equivalência referencial em problemas envolvendo equações de 1º º grau. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 20, n.1, p. 084-109, 2018.

K. S. Smole; M. I. Diniz, Matemática para compreender o mundo. São Paulo: Saraiva, 2016.

A. S. Silva, Registros de representação semiótica e função quadrática: um olhar sobre o ensino e a abordagem no livro didático, dissertação de mestrado, Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica, Universidade Federal de Pernambuco, 2020.

A. S. Silva; R.A. M.Teles, Convergências entre a abordagem do livro didático e o ensino de função quadrática: um olhar sob o ponto de vista dos registros de representação semiótica. Educação Matemática Pesquisa. São Paulo, v. 22, n.2, p. 604-634, 2020. [CrossRef] [Google Scholar]

Downloads

Publicado

2020-11-30

Como Citar

Silva, A., & Teles, R. (2020). Conversões entre as representações em linguagem natural e algébrica de função quadrática: uma análise do fenômeno de congruência semântica e equivalência referencial . INTERMATHS, 1(1), 132-150. https://doi.org/10.22481/intermaths.v1i1.7611

Edição

Seção

Dossiê