POR QUE OS ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA EXPLORAM POUQUISSIMAMENTE OS DICIONÁRIOS DE LÍNGUAS?

  • Marcelo Sabino Luiz Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os estudantes da educação básica sabem explorar apropriadamente os recursos do dicionário? O propósito desse trabalho consiste em responder a essa questão, ao destacar as razões que impedem os aprendizes a adotar de modo potencial o dicionário enquanto fonte de pesquisa em suas atividades de recepção e de produção de linguagem. Em resposta ao problema enunciado, este artigo aponta três fatores que determinam o baixo aproveitamento do dicionário em sala de aula pelo aluno, como foram mencionadas nas evidências do estudo proposto por Sabino Luiz (2019), a saber: (i) a ausência de proficiência lexicográfica, (ii) o uso indiscriminado do material lexicográfico pelo aluno e (iii) a vaga mobilização docente frente às práticas didáticas. Diante destas constatações de natureza bibliográfica, defendemos a necessidade de ações pedagógicas voltadas ao letramento e à educação lexicográfica escolar com base nos princípios do quadro teórico da lexicografia pedagógica (LP).

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutorando em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), Câmpus de São José do Rio Preto-Rio Preto. Mestre em Letras pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp).

Referências

1. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: 1º e 2º ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília/DF: MEC/SEF, 1997.
2. BUGUEÑO MIRANDA, F. V. O que o professor deve saber sobre a nominata do
3. dicionário da língua. Revista Língua & Literatura, v.6/7, n.10/11, 2005. p.17-31.
4. HAUSMANN, F. J. Einführung in die Benutzung der neufranzosichen Worterbücher. Tübingen, 1977.
5. KRIEGER, M. G. Dicionários para o ensino da língua materna: princípios e critérios de
6. escolha. Revista língua & literatura (IMPRESSO), v. 10/11, p. 101-112, 2005.
7. OLIVEIRA, M. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento, um processo histórico. São
8. Paulo: Scipione, 1993.
9. SABINO LUIZ, M. Letramento lexicográfico: o dicionário no ensino do léxico e o potencial didático para a inscrição do aluno no mundo da escrita. 2019. 290 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras) – Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Cornélio Procópio. 2019.
10. TARP, S. Lexicografía de aprendizaje. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 18, p. 295-317, abr. 2006.
11. VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1989.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
SABINO LUIZ, Marcelo. POR QUE OS ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA EXPLORAM POUQUISSIMAMENTE OS DICIONÁRIOS DE LÍNGUAS?. fólio - Revista de Letras, [S.l.], v. 12, n. 1, jul. 2020. ISSN 2176-4182. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6518>. Acesso em: 04 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/folio.v12i1.6518.