MÉTODO CLÍNICO: DESENVOLVIMENTO MORAL EM QUILOMBOLAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rbba.v8i2.6256

Palavras-chave:

Meio ambiente, Quilombolas, Método clínico, Jean Piaget, Brasil

Resumo

O presente trabalho traz reflexões preliminares de estudo teórico e exploratório por método clinico realizado em escolas da Colônia Vitória, município de Guarapuava, estado do Paraná, Brasil que recebem crianças advindas da comunidade quilombola Invernada Paiol de Telha. Pretende-se refletir sobre esse método por meio da compreensão moral ambiental dessas crianças quilombolas. Baseados na obra do autor construtivista Jean Piaget e considerando a percepção ambiental como parte da conexão existente entre a formação do juízo moral e dos valores quilombolas que são construídos de forma a existir uma compreensão do meio ambiente enquanto meio onde há uma relação dinâmica de troca. Entende-se que o método clínico viabilizou essa analise quando colocou em movimento o pensar infantil ativando o julgamento moral para as questões ambientais e também quando evindenciou o silêncio por opressão vivida pelas meninas da comunidade.

Referências

BRASIL, Casa Civil. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: 1988.

BRASIL. Secretaria Especial de Política de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR. I Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana. Brasília: 2013.

BRASIL. MEC -Ministério da Educação. SEPPIR - Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Saberes e fazeres, v.3: modos de interagir/ coordenação do projeto Ana Paula Brandão. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006.

BRASIL. MEC -Ministério da Educação. SEPPIR - Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Saberes e fazeres, v.2: modos de sentir /coordenação do projeto Ana Paula Brandão. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006.

BRASIL. MEC - Ministério da Educação. SEPPIR -Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Saberes e fazeres, v.1: modos de ver/ coordenação do projeto Ana Paula Brandão. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006.

CAMPOS, D. M. de S. Introdução a pesquisa em psicologia: aspectos metodológicos. Petrópolis: Vozes, 1932.

CARRAHER, T. N. O método clínico: usando os exames de Piaget. São Paulo: Cortez, 1994.

DEVAL, Juan. Introdução à Prática do Método Clínico, descobrindo o pensamento das crianças. Porto Alegre: Artmed, 2002.

FACHIN, O. Fundamentos de Metodologia. 5ª ed. São Paulo: Saraiva, 2006.

FERREIRO, Emília. Reflexões Sobre Alfabetização. São Paulo: Cortez, 2000.

LA TAILLE, Yves de. Moral e Ética: dimensões intelectuais e afetivas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

MONTOYA, A. O. D. Contribuições da Psicologia e Epistemologia Genéticas para a Educação. In: Introdução à Psicologia da Educação: seis abordagens. p. 157-185. São Paulo: Avercamp, 2004.

MOURA, G. Aprendizado nas Comunidades Quilombolas: Currículo Invisível. In: Dimensões da inclusão no ensino médio: mercado de trabalho, religiosidade e educação quilombola. Brasília: 2006.

MUNARI, A. Jean Piaget. Coleção Educadores. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010.

O’DWYER, Eliane Cantarino (Org.). Terra de quilombos. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia, 1995.

PIAGET, Jean. O julgamento moral da criança. São Paulo: Editora Mestre Jou, 1932.

______. Cinco Estudos de Educação Moral... |et al| organizador Lino de Macedo. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.

______. Epistemologia Genética e Pesquisa Psicológica. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1974.

______.Introduction à epistemologie génétique. II. La penseé physique. Paris: Presses Universitaires de France, 1949.

SASSO, B. A.; DE MORAIS, A. O Egocentrismo Infantil na Perspectiva de Piaget e Representações de Professoras. Scheme, Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genética. Volume 5 Número 2. p.24 -51. Ago-Dez/2013. Disponível em: www.marilia.unesp.br/scheme. Acessado em: 10/11/2014.

SCOTT, J. Gênero: Uma Categoria Útil de Análise Histórica. Revista Educação e Realidade. n. 20, p. 71-99. Porto Alegre: 1995.

VESTENA, Carla Luicane Blum. Piaget e a Questão Ambiental: sujeito epistêmico, diagnóstico e considerações educacionais. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011.

Downloads

Publicado

2020-03-29

Como Citar

Berg, J., & Vestena, C. L. B. (2020). MÉTODO CLÍNICO: DESENVOLVIMENTO MORAL EM QUILOMBOLAS. Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo Entre As Ciências, 8(2), 156-173. https://doi.org/10.22481/rbba.v8i2.6256