Educação Financeira Escolar e Modelagem Matemática: uma proposta de discussão para a Educação Básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/intermaths.v2i1.8354

Palavras-chave:

Educação Matemática, Educação Financeira, Modelagem Matemática, Educação Básica

Resumo

Neste artigo, objetivamos apresentar uma proposta de atividade didática de Modelagem Matemática articulada à Educação Financeira Escolar para a Educação Básica, com temas relacionados à sonegação de impostos e ao saneamento básico. Para tanto, assumimos principalmente os apontamentos da Educação Financeira Escolar e da Modelagem Matemática. A partir da indagação: “de que formas valores sonegados em impostos podem ser investidos em políticas públicas que se voltam ao saneamento básico, a fim de diminuir desigualdades sociais decorrentes da ausência desse direito?”, por meio do processo de Modelagem Matemática, realizado enquanto discentes de um Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, propomos uma atividade didática com base em cinco momentos que podem contribuir para a inserção de discussões sobre Educação Financeira e Modelagem Matemática nas escolas, bem como, desenvolver a criticidade e criatividade dos estudantes, além de auxiliá-los na formação cidadã e evidenciar o papel social da Matemática. Assim, propomos que professores de Matemática da Educação Básica possam idealizar a atividade ou adaptá-la, desenvolvendo reflexões de aspectos relacionados à ética, educação fiscal, consumo, valor do dinheiro e saúde pública nas aulas de Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Andrei Luís Berres Hartmann, Universidade Estadual Paulista - Unesp

Licenciado em Matemática pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), com participação em projetos de pesquisa, ensino e extensão, como bolsa do Programa de Licenciaturas (PROLICEN), atuando em pesquisas com enfoque na formação de professores, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID), pesquisando na área de Educação Financeira, estudos aprofundando Álgebra Linear, trabalho de Acompanhamento Pedagógico e monitoria de Cálculo com alunos do CTISM-UFSM. Foi membro coordenador do Diretório Acadêmico do Curso de Matemática da UFSM (2018 - 2019), participante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (GEPEMat) e Educação Matemática: grupo de estudos e pesquisas (EMgep). Atualmente, mestrando em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (UNESP), com pesquisa voltada a formação de professores de Matemática com relação a Educação Financeira. É membro do Grupo de Pesquisas em Informática, Outras mídias e Educação Matemática (GPIMEM).

Ana Carolina Ferreira Rangel, Universidade Estadual Paulista - Unesp

Mestranda em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Unesp, Rio Claro, SP. Licenciada em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (2019). Foi bolsista PIBID/CAPES da Universidade Federal Fluminense. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Ensino de Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Resolução de Problemas, Geometria, GeoGebra, Álgebra e Jogos. 

Ana Paula dos Santos Malheiros, Universidade Estadual Paulista - Unesp

Professora Livre-Docente do Departamento de Educação da UNESP, São José do Rio Preto, SP e vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, PPGEM, da UNESP, Rio Claro, SP. Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela UNESP, Rio Claro (2000), mestrado (2004), doutorado (2008) e livre-docência (2019) em Educação Matemática pela mesma instituição. Tem experiência na área de Educação, mais especificamente, Educação Matemática e suas pesquisas têm foco, prioritariamente, em Modelagem Matemática e Formação de Professores, sendo principal aporte teórico Paulo Freire. É coordenadora do Grupo de Pesquisa Diálogos e Indagações sobre Escolas e Educação Matemática (DIEEM), cadastrado no Diretório de Grupos do CNPq e certificado pela Unesp. Atualmente é Editora Associada do Bolema e vice-coordenadora do Grupo de Trabalho em Modelagem Matemática (GT-10) da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM).

Referências

L. M. Fillos, “Modelagem Matemática nos anos 1980: narrativas e itinerários de cursos de especialização”, Tese, Educação Matemática, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, 2019.

P. Freire, “Pedagogia do Oprimido”, 69ª Edição, Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2019.

F. M. C. Rosa, M. T. Zampieri e A. P. S. Malheiros. “Uma Vivência com Modelagem na Formação Continuada de Professoras de Matemática: algumas compreensões”, Educação Matemática em Revista, Ano 20, n°46, 2015.

Brasil, “Lei nº 14.026, de 15 de julho de 2020”.

T. E. Klüber, “Uma meta compreensão da modelagem matemática na educação matemática”, Tese, Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, 2012.

Sinprofaz, “Sonegação no Brasil – Uma Estimativa do Desvio da Arrecadação do Exercício de 2018”, Brasília/DF, junho de 2019.

A. M. Silva e A. B. Powell, “Um programa de Educação Financeira para a Matemática Escolar da Educação Básica”, in: Encontro Nacional de Educação Matemática, XI ENEM, 2013, Curitiba/PR, Anais... Curitiba/PR: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2013.

J. C. Barbosa, “Integrando Modelagem Matemática nas Práticas Pedagógicas”, Educação Matemática em Revista, São Paulo, ano 14, n. 26, Mar. 2009.

R. Bogdan e S. Biklen, “Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos”, Porto Editora: Porto, 1994.

Brasil, Ministério da Educação, “Base Nacional Comum Curricular”, 2018.

A. L. B. Hartmann e M. V. Maltempi, “Contribuições de tecnologias na abordagem da Educação Financeira em tempos de pandemia”, in: II Simpósio Internacional de Tecnologias em Educação Matemática, II SITEM, 2020, Rio Claro/SP, Mural Científico… Rio Claro/SP: Universidade Estadual Paulista, Grupo de Pesquisa em Informática, outras Mídias e Educação Matemática, 2020.

A. L. B. Hartmann, “Educação Financeira em Pesquisas Stricto Sensu no Brasil: um levantamento bibliográfico com foco na Tomada de Decisão”, Trabalho de Conclusão de Curso, Licenciatura em Matemática, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2019.

A. J. L. Bigode, “Base, que Base? O Caso da Matemática”, in: F. Cássio e R. Catelli Jr. (Orgs.), Educação é a Base? 23 Educadores Discutem a BNCC, São Paulo: Ação Educativa, 2019.

A. P. S. Malheiros e R. Forner, “Um Olhar Freireano para a Base Nacional Comum Curricular de Matemática”, Revista Olhar de Professor, Ponta Grossa, v. 23, p. 1-14, 2020.

R. A. Souza, “Educação financeira: uma abordagem centrada na modelagem matemática”, Tese, Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.

M. F. Oliveira e L. A. Pires, “Modelagem Matemática na Avaliação de Impacto Ambiental: Abordagem metodológica no ensino de cálculo em um curso de engenharia”, Educação Matemática em Revista, Brasília, v. 25, n. 69, p. 04-13, out./dez. 2020.

G. S. Barbosa, J. M. Araújo e A. M. M. Paes, “Modelagem Matemática e Educação Financeira: uma integração possível no desenvolvimento da criticidade dos estudantes”, Educação Matemática Debate, Montes Claros (MG), Brasil. v. 4, n. 10, p. 1-25, 2020.

R. S. Silva e M. A. Reinheimer, “Educação Financeira na Escola Básica: um experimento com Modelagem Matemática”, Revista Educar Mais, 2019, volume 3, nº 2, p. 246-255.

Brasil, Ministério da Educação, “Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática”, (3º e 4º ciclos do Ensino Fundamental), Brasília: MEC, 1998.

J. C. Barbosa, “Modelagem Matemática: O que é? Por que? Como?”, Veritati, n. 4, p. 73-80,

T. E. Klüber e D. Burak, “Concepções de modelagem matemática: contribuições teóricas”, Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 10, n. 1, pp. 17-34, 2008.

M. R. D. Veronez e G. G. Veleda, “Reflexões sobre a Realidade em uma Atividade de Modelagem Matemática”, Perspectivas da Educação Matemática, v. 9, p. 1237-1252, n. 21, 2016.

M. N. Mesquita e A. J. Ceolim, “Modelagem Matemática: abordagens na educação básica na perspectiva da Educação Matemática Crítica”, Revista Paranaense de Educação Matemática, v.6, n.12, p. 281-305, 2017.

A. P. S. Malheiros, L. B. Souza e R. Forner, “Olhares de docentes sobre as possibilidades da Modelagem nas aulas de Matemática”, Revista de Ensino de Ciências e Matemática (REnCiMa), v. 12, p. 1-22, 2021. https://doi.org/10.26843/rencima.v12n2a04

Sinprofaz. “Sonegação no Brasil – Uma Estimativa do Desvio da Arrecadação

do Exercício de 2018”. Brasília/DF, junho de 2019. Disponível em: http://www.quantocustaobrasil.com.br/artigos-pdf/quanto-custa-o-brasil-pra-voce-%

sonegacao-no-brasil-uma-estimativa-do-desvio-da-arrecadacao-do-exercicio-de-2018.pdf>.

Acesso em: 27 mar. 2021.

F. C. Araújo e G. L. Bertussi. “Saneamento Básico no Brasil: estrutura tarifária e regularização”. Planejamento e Políticas Públicas, PPP, n. 51, jul./dez. 2018. Disponível em: < http://repositorio. ipea.gov.br/bitstream/11058/9864/1/ppp_51_saneamento.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2021.

P. Freire, “Pedagogia do oprimido”, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Berres Hartmann, A. L., Ferreira Rangel, A. C. ., & dos Santos Malheiros, A. P. (2021). Educação Financeira Escolar e Modelagem Matemática: uma proposta de discussão para a Educação Básica. INTERMATHS, 2(1), 106-120. https://doi.org/10.22481/intermaths.v2i1.8354

Edição

Seção

Artigos