Africanidades, Orixás e Flamengo: um olhar a partir da lei 10639/2003

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/redupa.v3.14369

Palavras-chave:

lei 10.639/2003, esporte, africanidade, orixás, flamengo

Resumo

Este escrito propõe uma aproximação entre esporte e divindades das religiões de matriz africana. Tal justaposição é feita com a finalidade de deslocar o esporte dos códigos dos gestos técnicos e regras para o campo da cultura e das relações étnico-raciais, valorizando a história afro-brasileira, através do debate das africanidades. Deste modo, este ensaio tem como objetivo interpelar o esporte como conteúdo da Educação Física, a fim de reflexionar a história, a memória e a cultura dos povos africanos e afrodescendentes na formação do povo brasileiro, conforme instituído na Lei 10.639/2003, que inclui no currículo oficial das redes de ensino a obrigatoriedade desta temática. A partir da exposição de duas crônicas, que relacionam atletas do Flamengo com a mística dos orixás, conclui-se que conteúdos como estes são potentes politicamente na medida em que são transgressores da episteme colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Perolina Souza Teles, Universidade Federal de Sergipe -Brasil

Professora da rede pública do estado de Sergipe. Atualmente é doutoranda no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe. Membra do Grupo de pesquisa “Corpo e política”.

Contribuição de autoria: confecção das crônicas e fundamentação teórica -

Wolney Nascimento Santos, Universidade Federal de Sergipe - Brasil

Doutorando em Educação – PPGED/UFS. Mestre em Cinema e Narrativas Sociais (2018) pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Membro do Grupo de Pesquisa Corpo e Política. Professor Arteducador da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura de Sergipe/SEDUC. Linha de pesquisa concentrada em Educação; Cinema Negro; Arte e Mídia e Participação Social.

Contribuição de autoria: Fundamentação teórica e estrutura do texto.

Fabio Zoboli, Universidade Federal de Sergipe - Brasil

Professor do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Pós-doutor em Educação pela Universidad Nacional de La Plata (UNLP-Argentina). Membro do grupo de pesquisa “Corpo e política”.

Contribuição de autoria: Estrutura do texto e confecção das crônicas.

Referências

ANGEL, Hildegard. Na clandestinidade, houve vez em que Stuart se escondeu na garagem do remo do Flamengo. In: NETO, Helcio Herbert. Conte comigo: Flamengo e Democracia. 1. ed. São Paulo: Editora Ludopédio, 2022. p. 95-99.

ASANTE, Molefi Kete. Afrocentricidade: notas sobre uma posição disciplinar. In.: NASCIMENTO, E. L. (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

COELHO, Wilma de Nazaré Baía; BRITO, Nicelma Josenila Costa de; SILVA, Carlos Aldemir Farias da. Sociabilidades adolescentes e grupos juvenis: relações raciais na escola. Revista Educação em Páginas, Vitória da Conquista, v. 1, p. e11116, 2022. DOI: 10.22481/redupa.v1.11116. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/redupa/article/view/11116. Acesso em: 7 fev. 2024.

CORDEIRO, Sandra Zorat. Justicia gendarussa Burm.f. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: www.unirio.br/ccbs/ibio/herbariohuni/justicia-gendarussa-burm-f Acesso em: 02 de fev. de 2024.

CORREIA, Elder Silva; ZOBOLI, Fabio. O urubu que logo sou… que logo somos. Ludopédio, São Paulo, v. 153, n. 24, 2022. Disponível em: https://ludopedio.org.br/arquibancada/o-urubu-que-logo-sou-que-logo-somos/ Acesso em 07/12/2023.

NASCIMENTO SANTOS, Wolney; ZOBOLI, Fabio; DA SILVA, Renato Izidoro. Cinema, educação e africanidade: corpo negro e território no documentário sergipano “Nadir da Mussuca”. Linguagens, Educação E Sociedade, (42), 94-118, 2019.Disponível em: https://doi.org/10.26694/les.v0i42.8672 Acesso em: 08/01/2024.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula editorial, 2019.

RUFINO, Luiz. Vence-demanda: educação e descolonização. 1. ed. Rio de Janeiro: Mórula editorial, 2021.

SOUZA, Perolina; ZOBOLI, Fabio. A força de Iansã no corpo rubro-negro de Isabel Salgado. Ludopédio, São Paulo, v. 174, n. 4, 2023. Disponível em: https://ludopedio.org.br/arquibancada/a-forca-de-iansa-no-corpo-rubro-negro-de-isabel-salgado/ Acesso em 25/01/2024.

POLI, Ivan. Antropologia dos Orixás: a civilização Iorubá a partir de seus mitos, orikis e sua diáspora. [2. ed.]. – Rio de Janeiro: Pallas, 2019.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.639.htm Acesso em: 28/01/2024.

Downloads

Publicado

2024-02-21

Como Citar

TELES, P. S.; SANTOS, W. N.; ZOBOLI, F. Africanidades, Orixás e Flamengo: um olhar a partir da lei 10639/2003. Revista Educação em Páginas, Vitória da Conquista, v. 3, p. e14369, 2024. DOI: 10.22481/redupa.v3.14369. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/redupa/article/view/14369. Acesso em: 22 jun. 2024.