Col@b formacional e suas potencialidades na formação docente com as culturas digitais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v19i50.13084

Palavras-chave:

Col@b formacional, colaboração, culturas digitais, formação docente, interatividade

Resumo

O presente artigo discorre sobre as potencialidades do Col@b Formacional com as culturas digitais na formação docente, um dispositivo (co)criado em interatividade e colaboração entre professores da educação básica. Esse dispositivo faz parte de uma pesquisa de doutorado fundamentada, metodologicamente, na pesquisa-formação, na qual pesquisador e sujeitos participam implicados com seus espaçostempos. Realizada em uma escola da rede pública municipal, estiveram envolvidos 16 professores de Língua Portuguesa, tendo os app-diários de itinerância e as com-versações mediadas como dispositivos de produção de dados. A análise dos achados seguiu a perspectiva das noções subsunçoras. Os resultados revelam que a) a formação docente em ato promove processos de mudança e imersão com suas próprias demandas; e b) os processos reflexivos na tessitura dos fazeressaberes reverberam em (co)criação e autorias docentes, ambas contribuindo para a apropriação de práticas plurais e não lineares de ensino com as tecnologias digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Sandra Virginia Correia de Andrade Santos, Secretaria Municipal de Educação de Tobias Barreto - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) Bolsista Fapitec/SE. Membro do Grupo de Pesquisa Educação e Culturas Digitais - Ecult(UFS/CNPq), do Grupo de Estudos em Educação Superior-GEES (UFS/CNPQ) e do Núcelo de Pesquisa em Comunicação e Tecnologia.

Simone de Lucena, Universidade Federal de Sergipe - Brasil

Pós-doutora em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Doutora em Educação (UFBA). Professora do Programa de Pós-graduação em Educação e do Departamento de Educação da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Líder do Grupo de Pesquisa em Educação e Culturas Digitais (ECult/UFS/CNPq). 

Contribuição de autoria: autora.

Referências

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico. 7. ed. Rio de janeiro: Contraponto, 1996.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Para uma filosofia do ato responsável. 2. ed. São Carlos: Pedro & João, 2010.

ALVES, Nilda. Sobre os movimentos das pesquisas nos/dos/com os cotidianos. In: GARCIA, Alexandra; OLIVEIRA, Inês Barbosa de (org.). Nilda Alves: praticantepensante de cotidianos. Belo Horizonte: Autêntica, 2015, p. 39-48.

BARBIER, René. A pesquisa-ação. Brasília: Líber Livro, 2007.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. 9. ed. Tradução: Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 8. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GALEFFI, Dante Augusto. Prefácio. In: MACEDO, Roberto Sidnei. A pesquisa e o acontecimento: compreender situações, experiências e saberes acontecimentais. Salvador: Edufba, 2014. p. 13-19.

GAUTHIER, Clermont; MARTINEAU, Stéphane; DESBIENS, Jean-François; MALO, Annie; DENIS, Simard. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. 3. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2013.

GRICE, Herbert Paul. Lógica e conversação. In: DASCAL, Marcelo (org.). Fundamentos metodológicos da linguística, vol. IV. Tradução João Wanderlei Geraldi. Campinas: IEL/UNICAMP, 1982. p. 81-104.

HILGERT, José Gaston. A colaboração do ouvinte na conversação do enunciado do falante – um caso de interação intraturno. In: PRETI, D. (org.). Interação na fala e na escrita. São Paulo: Humanitas, 2002. p. 89-124.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Lisboa: Educa, 2002.

KINCHELOE, Joe L. Redefinindo e Interpretando o Objeto de Estudo. In: KINCHELOE, J. L.; BERRY, Kathlenn S. Pesquisa em Educação: conceituando a bricolagem. Tradução de Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2007. p. 101-122.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução. COSTA, C. I. da. São Paulo: 34, 1999.

LUCENA, Simone. Culturas digitais e tecnologias móveis na educação. Educar em Revista, Curitiba, n. 59, p. 277-290, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/er/n59/1984-0411-er-59-00277.pdf. Acesso em: 20 de jan. 2023.

MACEDO, Roberto Sidnei. Etnopesquisa Crítica, Etnopesquisa-Formação. Brasília: Liber Livro, 2006.

MACEDO, Roberto Sidnei. A pesquisa e o acontecimento: compreender situações, experiências e saberes acontecimentais. Salvador: Edufba, 2016.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. A análise da conversação. 5. ed. São Paulo: Ática, 2003.

PRETTO, Nelson De Luca. Educações, Culturas e Hackers: escritos e reflexões. Salvador: Edufba, 2017.

PINTO, Carmen Lúcia Lascano; LEITE, Carlinda. Trabalho Colaborativo: um conceito polissêmico. Conjectura: Filos. Educ., Caxias do Sul, v. 19, n. 3, p. 143-170, set./dez, 2014.

NÓVOA, Antônio. Firmar a posição como Professor, afirmar a profissão Docente. Cadernos de Pesquisa, v.47, n.166, p.1106-1133, out./dez. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1106.pdf. Acesso em: 01 jan. 2023.

SALLES, Cecília Almeida. Redes da Criação: construção da obra de arte. 2.ed. São Paulo: Horizonte, 2008.

SANTAELLA, Lúcia. Culturas e Artes do Pós-Humano: da cultura das mídias à cibercultura. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2003.

SANTOS, Sandra Virgínia Correia de Andrade Santos, SILVA; Camila Gomes Santos da; CARVALHO, Tainah dos Santos. Culturas digitais: diálogos e reflexões para a formação docente. Revista Tempos e Espaços em Educação, 15(34), e17744, 2022. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/17744. Acesso em: 01 jul. 2023.

SANTOS, Sandra Virgínia Correia de Andrade Santos. Col@b formacional com as culturas digitais: tecendo redes docentes interativas e colaborativas. 2021. 278f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe. Disponível em: https://ri.ufs.br/handle/riufs/15462. Acesso em: 01 jun. 2023.

SILVA, Marcos. Sala de aula interativa: a educação presencial e a distância em sintonia com a era digital e com a cidadania. In: CONGRESSO BRASILEIRO DA COMUNICAÇÃO, 24., 2001, Campo Grande. Anais [...] Campo Grande: CBC, 2001.

SILVA, Marcos. Sala de aula interativa. Rio de Janeiro: Quartet, 2014.

Downloads

Publicado

2023-11-01

Como Citar

SANTOS, S. V. C. de A.; LUCENA, S. de. Col@b formacional e suas potencialidades na formação docente com as culturas digitais. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 19, n. 50, p. e13084, 2023. DOI: 10.22481/praxisedu.v19i50.13084. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/13084. Acesso em: 16 abr. 2024.