A trajetória da EJA no estado da Bahia: da suplência à aceleração

Autores

  • Sheila Cristina Furtado Sales
  • Gicélia Aparecida Cotrim Costa
  • Jurenilda Prado Oliveira

Resumo

Este artigo é fruto de uma pesquisa que procurou analisar as políticas educacionais do ensino fundamental, séries iniciais, para pessoas jovens, adultas e idosas, adotadas pelo Governo do Estado da Bahia na década de noventa, especialmente focada no momento de passagem do Programa de Suplência de Educação Básica, implantado e executado no período de 1993 a 1997, para o Programa de Aceleração I e II, implantado de 1998 a 2005. A investigação visou identificar os fatores que motivaram a implantação, em 1998, do Programa de Aceleração I e II em substituição ao Programa de Suplência de Educação Básica, assim como identificar fatores positivos e negativos consequentes dessa mudança de Programas. Verificou-se, entretanto, que não houve nenhuma mudança significativa na política de educação para jovens, adultos e idosos no Estado da Bahia e que a transformação do Programa de Suplência para o Programa de Aceleração implicou mais em uma simples mudança de nomenclatura, visando à inclusão dos alunos matriculados no Curso de EJA  no ensino fundamental a fim de que fossem contemplados pelas verbas do Fundef destinadas e esta modalidade de ensino.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-11

Como Citar

SALES, S. C. F. .; COSTA, G. A. C. .; OLIVEIRA, J. P. A trajetória da EJA no estado da Bahia: da suplência à aceleração. Práxis Educacional, [S. l.], v. 5, n. 7, p. 115-128, 2020. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/605. Acesso em: 7 dez. 2021.