Cultura, gerencialismo e democracia na escola pública

Autores

  • Leonor Lima Torres

Palavras-chave:

Cultura escolar, Cultura organizacional escolar, Democracia, Liderança

Resumo

As pesquisas científicas produzidas nas duas últimas décadas sobre a cultura das organizações escolares apresentam como traço dominante a adesão a um registo de tipo gestionário, assente na crença de que as culturas integradoras promovem a excelência, a eficácia e a competitividade escolar. Igualmente presente na agenda da política educativa mais global, esta ideologia tem vindo a sustentar algumas medidas reformadoras da escola pública. Neste texto discutem-se as implicações que o uso gerencialista da cultura pode ter sobre o desenvolvimento democrático da escola. A exploração desta pressuposição apoiar-se-á, do ponto de vista metodológico, na análise de uma amostra de 239 Relatórios de Avaliação Externa das Escolas produzidos no contexto da realidade portuguesa entre 2006 e 2009. O principal objectivo prendeu-se com a apreensão dos modelos implícitos de cultura de escola e de liderança veículados pela comissão de avaliação e as suas implicações no domínio da reconfiguração do quotidiano das escolas. Na parte final do texto procura-se indagar até que ponto a agenda política de cariz gerencialista se tem dessiminado na comunidade académica e nos próprios contextos da acção educativa, designadamente no plano da reconstrução das culturas (organizacionais) escolares, na reconfiguração dos perfis de liderança e no correlativo desenvolvimento das práticas democráticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-10-02

Como Citar

TORRES, L. L. Cultura, gerencialismo e democracia na escola pública. Práxis Educacional, [S. l.], v. 6, n. 9, p. 13-35, 2010. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/632. Acesso em: 17 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê temático