O movimento de um ethos profissional num currículo de formação em Educação Física

Autores

  • Glaurea Nádia Borges de Oliveira Universidade do Estado da Bahia - Brasil https://orcid.org/0000-0002-3269-1614
  • Marcos Garcia Neira Universidade de São Paulo - BrasilLivre-Docente em Metodologia do Ensino de Educação Física e Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Titular da Faculdade de Educação da USP. Líder do Grupo de Pesquisas em Educação Física Escolar (GPEF/FEUSP), vinculado à Faculdade de Educação da USP https://orcid.org/0000-0003-1054-8224

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i46.8667

Palavras-chave:

Currículo, Formação em Educação Física, Formação docente

Resumo

Com um gesto teórico-metodológico de viés pós-estrutural, esboçado por uma mobilização cartográfica do conceito foucaultiano de dispositivo, o presente artigo problematiza o currículo de um curso de formação em Educação Física constituído a partir de um modelo generalista. Impelidos pelo interesse em perscrutar o funcionamento e os efeitos de um ethos profissional que enuncia a unicidade integradora de uma trajetória formativa e a vincula à aquisição de um vasto repertório de habilidades profissionais, requeridas pela atuação tanto em contextos escolares quanto não escolares, deslocamo- nos sobre um plano discursivo composto pelo projeto curricular do curso e por narrativas de professores, egressos e alunos concluintes. Defrontamo-nos, então, com um mecanismo disjuntivo, que perturba, implode e fratura, por intermédio de suas próprias investidas, a matriz profissional que esteia o dispositivo curricular, deslindando-nos a condição contingente e indômita de um currículo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glaurea Nádia Borges de Oliveira, Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Docente do Departamento de Educação/Campus XII da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e do Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGEd/UESB). Pesquisadora do Grupo de Pesquisas em Educação Física Escolar (GPEF/FEUSP), vinculado à Faculdade de Educação da USP, e do Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão Educacional Paulo Freire, vinculado à UNEB.

Marcos Garcia Neira, Universidade de São Paulo - BrasilLivre-Docente em Metodologia do Ensino de Educação Física e Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Titular da Faculdade de Educação da USP. Líder do Grupo de Pesquisas em Educação Física Escolar (GPEF/FEUSP), vinculado à Faculdade de Educação da USP

Livre-Docente em Metodologia do Ensino de Educação Física e Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Titular da Faculdade de Educação da USP. Líder do Grupo de Pesquisas em Educação Física Escolar (GPEF/FEUSP), vinculado à Faculdade de Educação da USP.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é um dispositivo? In: AGAMBEN, G. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009. p. 25-51.

ARAUJO, Raffaelle Andressa dos Santos. Formação docente em educação física no Brasil: do pensamento curricular à produção do conhecimento. In: SOARES, Marta Genú; ATHAYDE, Pedro; LARA, Larissa (Orgs.). Ciências do Esporte, Educação Física e Produção do Conhecimento em 40 Anos de CBCE. v. 4. Formação profissional e mundo do trabalho. Natal: EDUFRN, 2020. p. 97-113.

AZEVEDO, Ângela Celeste Barreto de; DIAS, Leon Ramyssés Vieira. Currículo e formação profissional em educação física: apontamentos teóricos. In: SOARES, Marta Genú; ATHAYDE, Pedro; LARA, Larissa (Orgs.). Ciências do Esporte, Educação Física e Produção do Conhecimento em 40 Anos de CBCE. v. 4. Formação profissional e mundo do trabalho. Natal: EDUFRN, 2020. p. 137-150.

BARBOSA-RINALDI, Ieda Parra. Formação inicial em Educação Física: uma nova epistemologia da prática docente. Movimento, Porto Alegre, v. 14, n. 3, p. 185-207, set./dez. 2008.

BRASIL. Conselho Federal de Educação. Resolução CFE nº 03/1987, de 16 de junho de 1987. Fixa os mínimos de conteúdo e duração a serem observados nos cursos de graduação em Educação Física (Bacharelado e/ou Licenciatura Plena). Diário Oficial da União, Brasília, 10 de setembro de 1987. Brasília, 1987.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 07/2004, de 31 de março de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física, em nível superior de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, 5 de abril de 2004. Brasília: 2004.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 01/2002, de 18 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2002. Brasília, 2002.

CORAZZA, Sandra Mara. O que quer um currículo? Pesquisas pós-críticas em educação.

Petrópolis: Vozes, 2001.

DELEUZE, Gilles. ¿Qué es un dispositivo? In: BALBIER, E. et al. Michel Foucault, filósofo. Barcelona: Gedisa, 1990. p. 155-163.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia. v. 1. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, Michel. Sobre a história da sexualidade. In: MACHADO, R. (Org.). Microfísica do poder. Michel Foucault. 30. reimp. Rio de Janeiro: Graal, 2012. p. 243-276.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. 4. ed. Rio de Janeiro: Nau, 2013a.

FOUCAULT, Michel. O que são as Luzes? In: FOUCAULT, M. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Ditos e Escritos II. MOTTA, M. B. (Org.). 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013b. p. 335-351.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 41. ed. Petrópolis: Vozes, 2013c.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 24. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014a.

FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos: curso no Collège de France (1979-1980). São Paulo: Martins Fontes, 2014b.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2017.

FURTADO, Roberto Ferreira. Novas Diretrizes e antigos debates: uma análise das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a graduação em Educação Física – Resolução CNE/CES 06/2018. In: SOARES, Marta Genú; ATHAYDE, Pedro; LARA, Larissa (Orgs.). Ciências do Esporte, Educação Física e Produção do Conhecimento em 40 Anos de CBCE. v. 4. Formação profissional e mundo do trabalho. Natal: EDUFRN, 2020. p. 115-135.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do Eu e Educação. In: SILVA, T. T. (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 35-86.

LOPES, Alice Casimiro. Teorias pós-críticas, política e currículo. Educação, Sociedade & Culturas, Porto, n. 39, p. 7-23, 2013.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

NEIRA, Marcos Garcia. Desvelando Frankensteins: interpretações dos currículos de Licenciatura em Educação Física. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 2, n. 2, p. 189-211, 2017.

OLIVEIRA, Glaurea Nádia Borges de. A trama de um dispositivo curricular no território da formação em Educação Física: um encontro-acoplamento, uma fratura, esboços de si. 2020. 171 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

OLIVEIRA, Glaurea Nádia Borges de; NEIRA, Marcos Garcia. Contribuições foucaultianas para o debate curricular da Educação Física. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 35, e198117, p. 1-28, 2019.

OLIVEIRA, Victor José Machado de; GOMES, Ivan Marcelo. Os desafios da formação profissional em educação física para a área da saúde: uma interpretação a partir de periódicos da área. Campinas, Pro-Posições, v. 30, e20170123, 2019.

PEREIRA, Jorge Adilson Gondim. Formação em Educação Física: discursos e a prática curricular. 2014. 171 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo-mapa: linhas e traçados das pesquisas pós-críticas sobre currículo no Brasil. Educação & Realidade, v. 30, n. 1, p. 67-82, jan./jun. 2005.

POLETO, Fábia Maria Boreli; FROSSARD, Matheus Lima; SANTOS, Wagner dos. As prescrições de avaliação dos cursos de formação de professores em Educação Física. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 16, n. 43, p. 542-568, Edição Especial, 2020.

POPKEWITZ, Thomas S. História do currículo, regulação social e poder. In: SILVA, T. T. (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 173-210.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica: 2011.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Como Citar

OLIVEIRA, G. N. B. de; NEIRA, M. G. O movimento de um ethos profissional num currículo de formação em Educação Física . Práxis Educacional, [S. l.], v. 17, n. 46, p. 1-21, 2021. DOI: 10.22481/praxisedu.v17i46.8667. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8667. Acesso em: 26 set. 2021.