Gestão democrática da escola: autonomia compartilhada pela participação social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/poliges.v2i1.8462

Palavras-chave:

Escola; Gestão democrática; Participação social.

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre a importância da gestão democrática no processo educacional, considerando a necessidade de articulação entre as ações pedagógicas e a função social da escola. Tendo como método a realização de uma pesquisa bibliográfica, este trabalho traz como referência as discussões resultantes do pensamento de teóricos como (PARO, 1986), (TAVARES, 1992), (FRIGOTTO, 2000) e (LUCK, 2010) acerca da temática em estudo. Nossa análise centrou-se em compreender como a atuação da equipe gestora pode possibilitar a participação de todos os sujeitos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem, desenvolvendo, através da gestão compartilhada, uma autonomia construída pela participação social, a qual permite a legitimação do sucesso escolar. Pôde-se inferir que abordar a gestão democrática no contexto escolar caracteriza-se como uma ação significativa, que procura refletir e representar o pensamento global, com ações focadas na coletividade, objetivando promover uma educação pública de qualidade aos educandos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adenilson Souza Cunha Júnior, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor do Departamento de Ciências Humanas, Educação e Linguagem e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. 

 

Liliane Borba Castro, Secretaria Estadual de Educação da Bahia

Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Especialista em Gestão da Educação Profissional (UNEB), Licenciada em Letras pela UNEB, Professora da rede pública estadual da Bahia. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Didática, Formação e Trabalho Docente (DIFORT/CNPq). 

 

Referências

BORDIGNON, G.; GRACINDO, R. V. Gestão da educação: o município e a escola. In: FERREIRA, N. S. C.; AGUIAR, M. A. da S. Gestão da Educação: impasses, perspectivas e compromissos. São Paulo: Cortez, 2004, p.147.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília, DF, Brasília, 5 de outubro de 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselhos Escolares: Democratização da escola e construção da cidadania. In: Programa Nacional do Fortalecimento dos Conselhos Escolares. Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica. 2004.

DOURADO, L. F. Progestão: como promover, articular e envolver a ação das pessoas no processo de gestão escolar? BRASILIA: CONSED, 2001.

FERREIRA, N.S.C. (org.) Gestão democrática da educação: atuais

tendências, novos desafios. São Paulo: Cortez, 1998.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 2.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1975.

FRIGOTTO, G. Educação e a crise do capitalismo real. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2000.

GADOTTI, M; ROMÃO, J. E. Autonomia da escola: princípios e propostas. Cortez,1997.

GADOTTI, M; ROMÃO, J. E. Gestão democrática e qualidade de ensino. 1º Fórum Nacional Desafio da Qualidade Total no Ensino Público, Belo Horizonte: Minascentro, 28 a 30 de julho de 1994.

HORA, D.L. da. Gestão democrática na escola: artes e ofícios da participação coletiva. São Paulo: Papirus, 1994.

LIBÂNEO, J.C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5 ed. Revista e ampliada – Goiânia: MF Livros, 2008.

LUCK, H. Gestão educacional: estratégia, ação global e coletiva no ensino. In. FINGER, A. etal. Educação: caminhos e perspectivas. Curitiba: Champagnat,1996.

LUCK, H. et al. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

LUCK, H. Dimensões de gestão escolar e suas competências. Curitiba: Positivo, 2009

OLIVEIRA, J.F. de; MORAES, K.N. de; DOURADO, L.F. Gestão escolar democrática: definições, princípios e mecanismos de implementação. Disponível em: http://moodle3.mec.gov.br/ufop2/file.php/1/gestores/politica/pdf/texto2_1.pdf Acesso em: 21 de fevereiro de 2021.

PARO, V.H. Administração escolar: introdução crítica. São Paulo: Cortez, 1986.

PAULA, R.L. de; SCHNECKENBERG, M. Gestão escolar democrática:

desafio para o gestor do século XXI. Revista Eletrônica Latu Sensu. v.3, n.1, março de 2008. Disponível em: http://www.cascavel.pr.gov.br/arquivos/06032012_textogestaoescolardemocratica_pdf.pdf. Acesso em: 14 abr. 2021.

ROMÃO, J.E. Gestão democrática do ensino público: condição da reforma educacional brasileira. In: GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José E. (orgs.). Autonomia da escola: princípios e propostas. 6. ed. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2004.

TAVARES, J. Administração pública e direito administrativo. Coimbra: Almedina 1992.

VEIGA, I. P. A. (Org.) Projeto Político Pedagógico – Uma Construção Possível.

Campinas, SP: Papirus, 1997.

Downloads

Publicado

2021-05-11

Como Citar

CUNHA JÚNIOR, A. S.; CASTRO, L. B. . Gestão democrática da escola: autonomia compartilhada pela participação social. Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES), [S. l.], v. 2, n. 1, p. 221-239, 2021. DOI: 10.22481/poliges.v2i1.8462. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8462. Acesso em: 20 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos