EDUCAÇÃO INCLUSIVA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: O QUE REVELAM OS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6822

Palavras-chave:

Educação Inclusiva, Currículo, Formação de professores

Resumo

O discurso que fundamenta a Educação Inclusiva passa, entre outros aspectos, por uma formação docente que seja capaz de considerar as diferenças dos alunos e suas aprendizagens. Neste sentido, é interessante entender em que medida os currículos dos cursos de formação de professores têm sido configurados para permitir discussões e reflexões sobre a diversidade dos alunos. Os dados aqui apresentados são um recorte da pesquisa de doutorado intitulada Formação de Professores e Educação Inclusiva: Uma Análise à Luz da Teoria Crítica da Sociedade. Este artigo objetivou identificar e caracterizar no currículo de onze cursos de licenciatura, de uma universidade pública baiana, disciplinas relacionadas a abordagem da Educação Inclusiva. A pesquisa tem abordagem qualitativa e por meio da análise documental foram analisados os fluxogramas e Projetos Acadêmicos Curriculares (PACs) dos cursos de formação de professores. A análise de conteúdo foi a metodologia de análise de dados escolhida. O estudo evidenciou que os cursos de Ciências Biológicas, Educação Física, História e Pedagogia são os que ofertam disciplinas obrigatórias e /ou optativas relacionadas à Educação Inclusiva em seus currículos. A ausência de disciplinas que abordem a educação inclusiva nas universidades impossibilita um debate fundamental, sobretudo nas licenciaturas, visto que o número de matrículas de alunos com deficiência nas classes regulares vem crescendo significativamente.

Biografia do Autor

Viviane Borges Dias, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Doutora em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB); Professora da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), credenciada ao Programa de Pós- Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM/UESC); Membro do Grupo de Pesquisa Inclusão e Sociedade - UNEB e do Grupo de Pesquisa Currículo e Formação de Professores em Ensino de Ciências - GPeCFEC/UESC.

Luciene Maria da Silva, Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP); Professora da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), credenciada ao Programa de Educação e Contemporaneidade (PPGEduC); Coordenadora do Grupo de Pesquisa Inclusão e Sociedade (UNEB).

Referências

ADORNO, Theodor Wiesengrund. Educação – para quê? In: ADORNO, Theodor Wiesengrund. Educação e emancipação. Tradução Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995a.

ADORNO, Theodor Wiesengrund. Educação após Auschwitz. In: ADORNO, Theodor Wiesengrund. Educação e emancipação. Tradução Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995b.

ADORNO, Theodor Wiesengrund. Introdução à Sociologia. Tradução Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

AINSCOW, Mel. Tornar a educação inclusiva: como esta tarefa deve ser conceituada? In: FÁVERO, Osmar. (Org.). Tornar a educação inclusiva. Brasília: UNESCO, 2009.

BORGES, Wanessa Ferreira; SANTOS, Cristiane da Silva; COSTA, Maria da Piedade Resende da. Educação Especial e formação de professores: uma análise dos projetos pedagógicos de curso (PPC). Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 1, p. 138-156, jan./mar., 2019. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11267/7883
Acesso em: 13 abr.2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394. htm>. Acesso em: 04 abril 2016.

BRASIL. Lei 10.436 de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2002a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm>. Acesso em: 05 abr. 2015.

BRASIL. Decreto n. 5.626. Regulamenta a Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2005. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm>. Acesso em: 05 abr. 2015.

BRASIL. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, seção 1, n. 124, p. 8-12, 02 de julho de 2015. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17719-res-cne-cp-002-03072015&Itemid=30192>. Acesso em: 07 fev. 2017.

BRASIL. Resolução nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica. Brasília, DF, dezembro, 2019. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Resolucao-CNE-CEB-002-2019-12-20.pdf. Acesso em: 27 abr. 2020.

CARVALHO, Rosita Edlér. Currículo e adaptações curriculares: do que estamos falando? In: CARVALHO, Rosita Edlér. (Org.). Escola inclusiva: a reorganização do trabalho pedagógico. Porto Alegre: Mediação, 2010.

COSTA, Valdelúcia Alves da. Experiências pela Educação – Para quê? Formação e Inclusão na perspectiva da Teoria Crítica. Revista Educação Especial. Santa Maria v. 26, n. 46, p. 245-260, maio/ago. 2013. Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/index.php/educacaoespecial/article/view/8029/pdf.>. Acesso em: 08 fev. 2014.

COSTA, Valdelúcia Alves da. As demandas da formação e da prática docente inclusiva sob a égide dos direitos humanos. In: SILVA, Aída Maria Monteiro; COSTA, Valdelúcia Alves da (Orgs.). Educação inclusiva e direitos humanos: perspectivas contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2015.

COSTA, Valdelúcia Alves da; LEME, Erika. Educação inclusiva no Brasil: aspectos políticos, sociais e humanos. In: COSTA, Valdelúcia Alves da (Org.). Educação inclusiva na América Latina: políticas, pesquisas e experiências. Niterói: Intertexto, 2016.

CROCHÍK, José Leon et al. Análise de atitudes de professoras do ensino fundamental no que se refere à educação inclusiva. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.37, n.3, p. 565 -582, set./dez. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ep/v37n3/a08v37n3.pdf>. Acesso em: 02 out. 2013.

CROCHÍK, José Leon. Dados censitários e de pesquisas sobre Educação Inclusiva no Brasil. In: COSTA, Valdelúcia Alves da (Orgs.). Educação inclusiva na América Latina: políticas, pesquisas e experiências. Niterói: Intertexto, 2016.

CRUZ, Gilmar de Carvalho; GLAT, Rosana. Educação inclusiva: desafio, descuido e responsabilidade de cursos de licenciatura. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 52, p. 257-273, abr./jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n52/15.pdf. Acesso em: 11 abr. 2019.

DIAS, Viviane Borges. Formação de professores e educação inclusiva: uma análise à luz da teoria crítica da sociedade. 2018. 263 f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Salvador, 2018.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2012.

DINIZ, Débora; SANTOS, Wederson Rufino dos. Deficiência e direitos humanos: desafios e repostas à discriminação. In: DINIZ, D.; SANTOS, Wederson Rufino dos (Orgs.). Deficiência e discriminação. Brasília: LetrasLivres: EdUnB, 2010.

FERRI, Cássia; HOSTINS, Regina Célia Linhares. Currículo e diferença: processos de seleção e organização de conhecimentos para atendimento educacional de alunos com histórico de deficiência mental. 29ª Reunião Anual da ANPED, Caxambu - MG, 2006. Disponível em: <http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/trabalho/GT15-2605--Int.pdf>. Acesso em: 05 maio 2017.

FONSECA-JANES, Cristiane Regina Xavier; OMOTE, Sadao. Os Cursos de Pedagogia da Universidade Estadual Paulista e a Educação Inclusiva1. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v. 19, n. 3, p. 325-342, Jul.-Set., 2013. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/rbee/v19n3/03.pdf>. Acesso em: 05 abr. 2017.

FREITAS, Marcos Cézar de. O aluno incluído na educação básica: avaliação e permanência. São Paulo: Cortês, 2013.

HAAS, Clarissa; BAPTISTA, Cláudio Roberto. Currículo e educação especial: uma relação de (re)invenção necessária a partir das imagens-narrativas dos cotidianos escolares. In: Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação E Pesquisa Em Educação, 37ª., 2015, Florianópolis. Anais eletrônicos... UFSC – Florianópolis. Disponível em: <http://www.anped.org.br/sites/default/files/trabalho-gt15-4199.pdf>. Acesso em: 04 maio 2017.

HORKHEIMER, Max; ADORNO, Theodor Wiesengrund. Sociologia e investigação social empírica. In: HORKHEIMER, Max; ADORNO, Theodor Wiesengrund Temas básicos da Sociologia. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Editora Cultrix – Editora da Universidade de São Paulo, 1973.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar da Educação Básica 2017 – Notas estatísticas. Ministério da Educação. Brasília, DF. 2018. Disponível em: <https://drive.google.com/file/d/1ul8OptGdTzory5J0m-TvvSzILCrXmWeE/view>. Acesso em: 02 fev. 2018.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar da Educação Básica 2019 – Notas estatísticas. Ministério da Educação. Brasília, DF. 2020. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/6798882. Acesso em: 06 abr. 2020.

JESUS, Denise Meyrelles de; BARRETO, Maria Aparecida Santos Correa; GONÇALVES, Agda Felipe da Silva. A formação do professor olhada no/pelo GT-15 - Educação Especial da ANPED: desvelando pistas. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v.17, p.77-92, Mai-Ago., 2011. Edição Especial. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbee/v17nspe1/07.pdf>. Acesso em: 26 maio 2016.

GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. O conceito de flexibilidade curricular nas políticas de inclusão educacional. In: JESUS, Denise Meyrelles. de et al. (Orgs.). Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação, 2011.

LOPES, Maura Corcini; FABRIS, Eli Henn. Inclusão & Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

MANTOAN, Maria Tereza Eglér. Inclusão escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MANTOAN, Maria Tereza Eglér. A hora da virada. Inclusão: revista de Educação Especial, Brasília, DF, v. 1, n. 1, p. 24-28, 2005. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/revistainclusao1.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2017.

MARINHO, Carla Cristina. Concepções de estudantes de pedagogia sobre educação inclusiva e educação especial e suas atitudes sociais em relação à inclusão. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual Paulista: Marília, 2016. Disponível em: <https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/144631/marinho_cc_me_mar.pdf?sequence=3&isAllowed=y>. Acesso em: 05 abr. 2017.

MENESES, Branca Maria; PEDROSSIAN, Dulce Regina dos Santos. A ideologia da integração na educação inclusiva. In: SILVA, L.M. da; SOUZA, L.R. (Orgs.). Estudos sobre formação e educação inclusiva. Salvador: EDUNEB, 2013.

MICHELS, Maria Helena. Paradoxos da formação de professores para a educação especial: o currículo como expressão da reiteração do modelo médico-psicológico. Rev. Bras. Educação Especial. Marília, Mai.-Ago. 2005, v.11, n.2, p.255-272. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbee/v11n2/v11n2a7.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2015.

MICHELS, Maria Helena. O que há de novo na formação de professores para a Educação Especial? Rev. Educ. Espec., Santa Maria, v. 24, n. 40, p. 219-232, maio/ago. 2011. Disponível em: <http://www.ufsm.br/revistaeducacaoespecial>. Acesso em 01 fev. 2014.

NUNES, Leila Regina D’Oliveira de Paula et al. A pós graduação em educação especial no Brasil: análise crítica da produção discente. Revista Brasileira de Educação Especial, Piracicaba, UNIMEP, v. 3, n. 5, p. 113-126, 1999.Disponível em: <http://www.abpee.net/homepageabpee04_06/artigos_em_pdf/revista5numero1pdf/r5_art09.pdf>. Acesso em: 04 maio de 2015.

OLIVEIRA, Clarissa da Silva. Decorrências do processo formativo com vistas à educação inclusiva no fazer pedagógico de egressos dos cursos de licenciatura da UFSM. Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Santa Maria. Programa de Pós Graduação em Educação, RS, 2013. Disponível em: <http://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/7055/OLIVEIRA%2c%20CLA
RISSA%20DA%20SILVA.pdf?sequence=1&isAllowed=y> Acesso em: 05 fev. 2018.

PICCOLO, Gustavo Martins; MENDES, Enicéia Gonçalves. Sobre formas e conteúdos: a deficiência como produção histórica. Perspectiva, Florianópolis, v. 31, n. 1, 283-315, jan./abr. 2013a. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2013v31n1p283/25658 . Acesso em: 17 abr. 2016.

PICCOLO, Gustavo Martins; MENDES, Enicéia Gonçalves. Contribuições a um pensar sociológico sobre a deficiência. Educação & Sociedade. Campinas, v.34, n.123, p. 459-475, abr-jun.2013b. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v34n123/08.pdf.> Acesso em: 13 maio 2015.

PIMENTEL, Susana Couto. Formação de professores para a inclusão: saberes necessários e percursos formativos. In: MIRANDA, Terezinha Guimarães; GALVÃO FILHO, Teófilo (Orgs.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012.

PRAIS, Jacqueline Lidiane de Souza; ROSA, Vanderlei Flor da. A formação de professores para inclusão tratada na Revista Brasileira de Educação Especial: uma análise. Revista Educação Especial, v. 30, n. 57, p. 129-144, jan./abr. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/19833/pdf
Acesso em: 13 abr. 2020.

REZENDE, Evelin Oliveira de. Formação de professores e a interveniência das diretrizes curriculares nacionais da Pedagogia para a Educação Especial. Dissertação de Mestrado, UFSCar, São Carlos, SP, 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/3152/5634.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 05 abr. 2017.

ROCHA-OLIVEIRA, Rafaela; DIAS, Viviane Borges; SIQUEIRA, Maxwel. Formação de Professores de Biologia e Educação Inclusiva: indícios do Projeto Acadêmico Curricular. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 19, 225-250, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4935/9958 . Acesso em 1 mar.2020.

SKLIAR, Carlos (Org.). Educação & Exclusão: abordagens socioantropológicas em educação. 7. ed. Porto Alegre: Mediação, 2013.

SILVA, Luciene Maria da. O trato ético com a inclusão escolar em Sociedades administradas. Olh@res, Guarulhos, v. 3, n. 1, p. 58-75. Maio, 2015. Disponível em:
<http://www.olhares.unifesp.br/index.php/olhares/article/viewFile/316/119>. Acesso em: 27 set. 2016.

SILVA, Luciene Maria da. A deficiência como expressão da diferença. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.44, p. 111-133, dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/edur/n44/a06n44.pdf >. Acesso em: 29 mar. 2017.

SILVEIRA, Tânia Balthazar; SILVA, Luciene Maria da Deficiência e preconceito: implicações para a inclusão escolar. In: SILVA, Luciene Maria da; SOUZA, Lucimere Rodrigues (Orgs.). Estudos sobre formação e educação inclusiva. Salvador: EDUNEB, 2013.

SIMÕES, Maria Cristina Dancham. C. D. Formação do indivíduo, formação docente e educação especial: o lugar do sujeito e o compromisso com a adaptação. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). São Paulo, 2016. Disponível em: <https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/19119/2/Maria%20Cristina%20Dancham%20Sim%C3%B5es.pdf>. Acesso em: 25 maio 2017.

SOUZA, Sirleine Brandão de. A formação de professores na perspectiva da Inclusão de alunos com deficiência no ensino regular: análises de propostas curriculares de cursos de formação de professores no ensino superior no Estado de São Paulo. Dissertação de Mestrado em Educação: História, Política e Sociedade. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 2013. Disponível em: <https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/10425/1/Sirleine%20Brandao%20de%20Souza.pdf>. Acesso em: 10 fev. 2015.

STAINBACK, Susan; STAINBACK, Willian. Inclusão: um guia para educadores. Trad. Magda França Lopes. Porto Alegre: Artmed, 1999.

VILELA, Rita Amélia Teixeira. Críticas e possibilidades da educação e da escola na contemporaneidade: lições de Theodor Adorno para o currículo. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 45. p. 223-248. jun. 2007.Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/edur/n45/a12n45.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2017.

VITALIANO, Célia Regina. Análise da necessidade de preparação pedagógica de professores de cursos de licenciatura para inclusão de alunos com Necessidades educacionais especiais. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, Set.- Dez. 2007 v.13, n.3, p.399-414. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbee/v13n3/a07v13n3.pdf>. Acesso em: 26 maio 2016.

VITALIANO, Célia Regina; DALL’ACQUA, Maria Júlia Canazza; BROCHADO, Sônia Maria Dechandt. A disciplina Língua Brasileira de Sinais nos currículos dos cursos de Pedagogia. B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n.2, p.106-121, maio/ago. 2013. Disponível em: <http://www.bts.senac.br/index.php/bts/article/view/351/335>. Acesso em: 07 jul. 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-01

Como Citar

Dias, V. B., & Silva, L. M. da. (2020). EDUCAÇÃO INCLUSIVA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: O QUE REVELAM OS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA?. Práxis Educacional, 16(43), 406-429. https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6822