REMINISCÊNCIAS DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS SOBRE O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6993

Palavras-chave:

Metodologia, Ensino de Ciências, Formação Inicial de Professores

Resumo

Este estudo é um recorte de uma pesquisa de Mestrado em Ensino de Ciências, que tem como objetivo analisar o modelo de investigação-formação-ação (IFA) nos processos de formação inicial de professores de Ciências e Biologia, e sua relação com as metodologias do ensino de Ciências. Esta pesquisa apresenta uma abordagem qualitativa e documental, sendo que as análises advêm de escritas narrativas obtidas de diários de bordo, produzidas por 14 licenciandos matriculados no componente curricular Prática enquanto Componente Curricular III, de um curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, durante a primeira aula do Estágio de Docência. A análise da pesquisa foi realizada a partir da Análise Textual Discursiva (A TD) e pelos processos de unitarização, categorização e comunicação. A partir da ATD emergiram categorias diferentes, e, com estas, metatextos que originaram duas espirais reflexivas: A) Histórias e memórias dos licenciandos sobre as aulas de Ciências durante a Educação Básica; e B) Memórias dos licenciandos sobre as professoras de Ciências. A partir destas categorias, pudemos perceber que as escritas narrativas permitem aos licenciandos, no movimento de IFA, dar voz às reminiscências envolvendo o ensino de Ciências na Educação Básica e à reflexão em seu processo de formação inicial, logo, de constituição docente.

Biografia do Autor

Larissa Lunardi, Universidade Federal da Fronteira Sul

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da Universidade Federal da Fronteira Sul. Cursando Especialização em (IFFAR, Câmpus Santa Rosa). Licenciada em Ciências Biológicas (IFFAR, Câmpus Santa Rosa).

Rúbia Emmel, Instituto Federal Farroupilha, Campus Santa Rosa

Licenciada em Pedagogia, Mestra e Doutora em Educação nas Ciências; Professora do IFFar, Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências: Mestrado, na Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Cerro Largo. 

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 8 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

BONOTTO, D. L.; LEITE, F. A; GÜLLICH, R. I. C. (org). Movimentos formativos: desafios para a Educação em Ciências e Matemática. 1 ed. Tubarão: Ed. Copiart, 2016.

BREMM, D.; GÜLLICH, R. Dos cheiros às memórias da escola: Formação e docência em Ciências Biológicas. Contexto & Educação, v. 33, n. 106, p. 254-270, 2018.

CAPECCHI, M. C. V. M.; CARVALHO, A. M. P. Atividade de laboratório como instrumento para a abordagem de aspectos da cultura científica em sala de aula. Pro-Posições, v. 17, n. 1, jan./abr. 2006.

CARNIATTO, I. A formação do sujeito professor: investigação narrativa em ciências/biologia. Cascavel: Edunioeste, 2002.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de Ciências: tendências e inovações. 10 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

CARVALHO, A. M. P. Critérios estruturantes para o ensino das Ciências. In.: CARVALHO, A. M. P. (Org). Ensino de ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Cengage Learning, 2004. p. 1-17.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 8 ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2018.

CHAVES, S. N. Memórias de formação: reminiscências de formadores de professores sobre suas maneiras de ver e ser na docência. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas. v. 1, n. 2, p. 87-92, jan/jun 2005.

CHAVES, S. N. Reencantar a ciência, reinventar a docência. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2013.

CONTRERAS, J. D. La investigación en la acción. Cuadernos de Pedagogia, n. 224, Madrid: Morata, p. 7-31, abr./1994.

CORAZZA, S. M. “Como dar uma aula?” Que pergunta é esta? In: MORAES, V. R. P. (org.). Melhoria do ensino e capacitação docente: programa de aperfeiçoamento pedagógico. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1996, p. 57-63.

CORAZZA, S. M. Didaticário de criação: aula cheia, antes da aula. Anais do XVI Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, ENDIPE, UNICAMP, Campinas, p. 278-284, 2012.

ELLIOTT, J. La investigación-acción en educación. Madrid: Ediciones Morata, 1990.

ELLIOTT, J. Recolocando a Pesquisa-ação em seu lugar original e próprio. In: GERALDI, C.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. (orgs.). Cartografias do trabalho docente: professor(a) pesquisador(a). Campinas: Mercado de letras, 1998. p. 137-152.

EMMEL, R. O currículo e o livro didático da educação básica: contribuições para a formação do Licenciando em Ciências Biológicas. 2015. Tese (Doutorado em Educação nas Ciências) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Campus Ijuí). Ijuí, 2015.

ESTEBAN, M. T.; ZACCUR, E. (Orgs.). Professora-pesquisadora: uma práxis em construção. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

GARCIA, R. L.; ALVES, N. Conversa sobre pesquisa. In.: ESTEBAN, M. T.; ZACCUR, E. (Orgs.). Professora-pesquisadora: uma práxis em construção. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 97-117.

GASTAL, M. L. A.; AVANZI, M. R. Saber da experiência e narrativas autobiográficas na formação inicial de professores de biologia. Ciência e Educação, Bauru, v. 21, n. 1, p. 149-158, 2015.

GASTAL, M. L.; AVANZI, M. R.; ZANCUL, M. S.; GUIMARÃES, Z. F. S. Da montanha à planície: narrativas e formação de professores de Ciências e Biologia. Revista da SBEnBIO, n. 3, p. 1252-1260, out 2010.

GERALDI, C. M. G. Currículo em ação: buscando a compreensão do cotidiano da escola básica. Pro-posições, v. 5, n. 3, nov./1994.

GOODSON, I. F. Dar voz ao professor: as histórias de vida dos professores e o seu desenvolvimento profissional. In.: NÓVOA, A. Vida de professores. 2 ed. Porto: Porto Editora, 2013. p. 63-78.

GONÇALVES, T. O.; GONÇALVES, T. V. O. Reflexões sobre uma prática docente situada: buscando novas perspectivas para a formação de professores. In: GERALDI, C. M. G.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. M. A. (org.). Cartografias do Trabalho Docente: Professor(a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998.

GÜLLICH, R. I. C. O livro didático, o professor e o ensino de ciências: um processo de investigação-formação-ação. 2012. Tese (Doutorado em Educação nas Ciências) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2012.

IMBERNÓN, F. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. 4 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2016.

LARROSA, J. B. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, jan./fev./mar./abr. 2002.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1992.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

LÜDKE, M. (coord); PUGGIAN, C.; CEPPAS, F. CAVALCANTE, R. L. A.; COELHO, S. L. B. O professor e a pesquisa. Campinas: Papirus, 2001.

MARCELO GARCIA, C. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, v. 02, n. 03, p. 11-49, ago./dez. 2010.

MARTINS, E. F.; CARVALHO, L. C. L.; MARTINS, M.; CARVALHO, M. V. C. As narrativas e os diários de formação: caminhos possíveis na pesquisa em educação. Anais do VI Encontro de Pesquisa em Educação da UFPI, Teresina, Piauí, 2010.

MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Bauru: Ciência e Educação, v.9, n. 2, p. 191-211, 2003.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. 3 ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2016.

MORAES, R.; RAMOS, M. G. Construindo o conhecimento: uma abordagem para o ensino de Ciências. Porto Alegre: SAGRA, 1988.

NÓVOA, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, A. Vida de professores. 2 ed. Porto: Porto Editora, 2013. p. 11-30.

NÓVOA, A. Professores: Imagens do futuro presente. Lisboa: EDUCA, 2009.

PIMENTA, S. G. Saberes pedagógicos e atividade docente. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

PORLÁN, R.; MARTÍN, J. El diário del professor: un recurso para investigación en el aula. Diáda: Sevilla, 1997.

PROJETO DOCES MATAS. Brincando e aprendendo com a mata: manual para excursões guiadas. Belo Horizontes, 2002.

REIS, E. F.; PASTANA, C. O.; HENCKES, S. B. R.; MARCHI, M. I.; STROHSCHOEN, A. A. G. Saídas a campo: possibilidades de ensino e aprendizagem em ambiente não formal. Ciência em tela, v. 10, n. 1, 2017.

ROSITO, B. A. O ensino de Ciências e a experimentação. In: MORAES, R. Construtivismo e ensino de Ciências: reflexões epistemológicas e metodológicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2000.

SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. Disciplina escolar Biologia: entre a retórica unificadora e as questões sociais. In: MARANDINO, M.; SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S.; AMORIM, A. C. (org.) Ensino de Biologia: conhecimentos e valores em disputa. Niterói: Eduff, 2005.

SILVA, L. H. A.; SCHNETZLER, R. P. Buscando o caminho do meio: a “sala de espelhos” na construção de parcerias entre professores e formadores de professores de Ciências. Ciência & Educação, Bauru, v. 6, n. 1, p. 43-53, 2000.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 7 ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

ZEICHNER, K. Formando professores reflexivos para uma educação centrada no aprendiz: possibilidades e contradições. In.: ESTEBAN, M. T.; ZACCUR, E. (Orgs.). Professora-pesquisadora: uma práxis em construção. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 25-52.

Downloads

Publicado

2020-12-01

Como Citar

Lunardi, L., & Emmel, R. (2020). REMINISCÊNCIAS DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS SOBRE O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Práxis Educacional, 16(43), 472-493. https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6993