FORMADOR DE ADULTOS: O POTENCIAL (TRANS)FORMADOR DA BIOGRAFIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.7587

Palavras-chave:

Formadores de adultos, Formação, Narrativa autobiográfica

Resumo

O texto tem como objetivo analisar o potencial formativo da narrativa autobiográfica no formador de adultos. A análise resultou de uma investigação-formação-ação, filiada na hermenêutica, realizada com formadores de adultos, na condição de estudantes de mestrado, em Portugal. A investigação enquadrada no campo científico das Ciências da Educação baseou-se em dois pressupostos teóricos estruturantes: primeiro, considera-se que a educação e a formação são processos amplos e difusos, que ocorrem em todas as idades e contextos de vida e promovem uma transformação silenciosa; segundo, reconhece-se a importância de os formadores de adultos compreenderem o seu próprio processo de formação, como forma de potenciar o poder de ação e de transformação. Os formadores de adultos elaboraram uma biografia educativa centrada no percurso profissional e no processo de formação. A elaboração da narrativa biográfica mobilizou o sujeito num processo de reflexão, de rememoração, de seleção, de análise e de (re)elaboração da sua experiência, em dinâmicas de alternância entre o individual e o coletivo, a oralidade e a escrita. A análise destas narrativas biográficas permitiu compreender o poder formativo e transformador gerado pela reflexão, pela escrita de si e pela socialização da experiência. Os formadores de adultos atribuíram sentido e apropriam-se da sua experiência profissional e do seu processo de formação, o que desencadeou a autoformação. Nesse sentido, a biografia educativa apresentou um potencial transformador capaz de restituir o poder de ação e de formação dos formadores de adultos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmen Cavaco, Instituto de Educação da Universidade de Lisboa | UIDEF – Portugal

Doutoramento em Ciências da Educação/Especialidade Formação de Adultos na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa; é professora-investigadora no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa | UIDEF.

Referências

ALHEIT, Peter. Autobiographie: Recherche Biographique. In: DELORY-MOMBERGER, Christine (Dir.). Vocabulaire des Histoires de Vie et de la Recherche Biographique. Paris: Téraèdre, 2019. p.32-35.

ALL EUROPEAN ACADEMIES. The European Code of Conduct for Research Integrity. Revised Edition. Berlim: ALLEA, 2017.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2ª ed. São Paulo: Boitempo Editora, 2010.

BARBIER, René. L´approche existentielle dans la formation des formateurs des adultes à l´Université? Les Cahiers d´Études du C.U.E.E.P, Lille, v. 1, p.327-334, 1990.

BUTLER, Judith. Le récit de soi. Paris: PUF, 2007.

CANÁRIO, Rui. Educação de Adultos: um campo e uma problemática. Lisboa: Educa, 1999.

[AUTOR, 2009].

[AUTOR, 2015].

DELORY-MOMBERGER, Christine. De la Recherche Biographique en Éducation: Fondements, méthodes, pratiques. Paris: Téraèdre, 2014.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biographie/Biographique/Biographisation. In: DELORY-MOMBERGER, Christine (Dir.). Vocabulaire des Histoires de Vie et de la Recherche Biographique. Paris: Téraèdre, 2019. p.47-51.

DILTHEY, Wilhelm. O surgimento da hermenêutica (1900). Numen: Revista de Estudos e Pesquisa da Religião, Juiz de Fora, v.2, n.I, p. 11-32, 1999.

DILTHEY, Wilhelm. Tipos de concepção do mundo. Universidade da Beira Interior: Lusosofia Press, 2000. Disponível em: http://www.lusosofia.net/textos/dilthey_tipos_de_concep_ao_do_mundo.pdf

Acesso em: 18 out. 2020.

DOMINICE, Pierre. L'histoire de vie comme processus de formation. Paris: L´Harmattan, 2002.

DOMINICÉ, Pierre. Biographie éducative. In: DELORY-MOMBERGER, Christine (Dir.). Vocabulaire des Histoires de Vie et de la Recherche Biographique. Paris: Téraèdre, 2019. p.292-295.

FABRE, Michel. Bildung. In: DELORY-MOMBERGER, Christine (Dir.). Vocabulaire des Histoires de Vie et de la Recherche Biographique. Paris: Téraèdre, 2019. p.197-199.

FERRAROTTI, Franco. Histoire et histoires de vie. Paris: Téraèdre, 2013.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se complementam. São Paulo: Cortez Editora, 1992.

GUGLIELMI, Jean; ARDOINO, Jacques. Préface. In: ALIN, Christian. Être formateur: Quand dire c´est écouter. Paris: L´Harmattan, 1996. p.15-20.

HONORÉ, Bernard. Para uma teoría de la formación: dinámica de la formatividad. Madrid: Narcea, 1980.

ILLICH, Ivan. Sociedade sem escolas.7ª ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1985.

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Estatísticas NetForce. Lisboa: IEFP, 2020. Disponível em: https://netforce.iefp.pt/pt-PT/UTE/Home/Estatist_Show

Acesso em: 14 out. 2020.

JOBERT, Guy. Le rôle des Universités dans la professionnalisation des formateurs d´adultes : une approche sociologique. Les Cahiers d´Études du C.U.E.E.P, n. 1, p.112-117, 1990.

JOBERT, Guy. O formador de adultos: um agente de desenvolvimento. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v.17, p.21-32, jun. 2014.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Lisboa. Educa, 2002.

JULLIEN, François. Les transformations silencieuses. Paris: Grasset, 2009.

LAOT, Françoise; LESCURE, Emmanuel. Formateur d´adultes. Entre fonction et métier. Recherche et Formation, n.53, p.79-93, 2006.

LIETARD, Bernard. Les formateurs, leurs qualifications, leurs formations. Les Cahiers d´Études du C.U.E.E.P, n. 1, p.337-341, 1990.

PAILLÉ, Pierre. Herméneutique. In: DELORY-MOMBERGER, Christine (Dir.). Vocabulaire des Histoires de Vie et de la Recherche Biographique. Paris: Téraèdre, 2019. p.222-224.

PINEAU, Gaston. Autoformation. In: DELORY-MOMBERGER, Christine (Dir.). Vocabulaire des Histoires de Vie et de la Recherche Biographique. Paris: Téraèdre, 2019. p.193-197.

PORDATA. População empregada: total e por grandes sectores de actividade económica. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos. Disponível em: https://www.pordata.pt/Portugal/Popula%C3%A7%C3%A3o+empregada+total+e+por+grandes+sectores+de+actividade+econ%C3%B3mica-32

Acesso em: 15 out. 2020.

RICŒUR, Paul. Temps et récit: la configuration du temps dans le récit de la fiction. Tome 2. Paris: Seuil, 1984.

RICŒUR, Paul. Temps et récit: le temps raconté. Tome 3. Paris: Éditions du Seuil, 1985.

RICŒUR, Paul. Parcours de la reconnaissance. Paris: Éditions Stock, 2004.

RICŒUR, Paul. Devenir capable, être reconnu. Esprit, n.7, jul. 2005.

SOUSA SANTOS, Boaventura. Um discurso sobre as ciências. Porto: Edições Afrontamento, 1987.

SOCIEDADE PORTUGUESA DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO. Instrumento de regulação ético-deontológica. Carta ética. Porto: SPCE, 2014.

STROUMZA, Johnny. Quelle profession pour les formateurs ? Les Cahiers d´Études du C.U.E.E.P, v. 1, p.112-117, 1990.

VINCENTI, Antonella de; PINEAU, Gaston. Les histoires de vie dans l´œuvre et la vie de Franco Ferrarotti: «J´adore renaître». In: FERRAROTTI, Franco. Histoire et histoires de vie. Paris: Téraèdre, 2013. p.13-24.

Downloads

Publicado

2021-02-01

Como Citar

Cavaco, C. (2021). FORMADOR DE ADULTOS: O POTENCIAL (TRANS)FORMADOR DA BIOGRAFIA. Práxis Educacional, 17(44). https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i44.7587