ORIENTAR-SE NOS HORIZONTES EPISTEMOLÓGICOS DA EXPERIÊNCIA: PROBLEMATIZAÇÃO E ETOPOIESE EM MICHEL FABRE

Resumo

Este artigo apresenta a pedagogia do problema em Michel Fabre, modelo de normatividade educacional centrado na experiência. A problematização dessa experiência articula dois instrumentos de orientação, metaforicamente representados na bússola e no mapa, como tentativa de a educação responder aos desafios de um mundo problemático. O mapa representa o construto histórico-cultural, os saberes construídos pela humanidade. A bússola representa a abertura e a polarização do espaço cognitivo na organização da experiência. A educação assume o papel de fornecer ao aluno esses dois instrumentos, auxiliando-o na busca e construção de seu próprio caminho considerando uma razão educativa prudencial e não injuntiva.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutorando pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), no Programa de Pós-Graduação em Educação. Linha de pesquisa: Processos educativos. Grupo de pesquisa: Filosofia e Educação e Ensino de Filosofia. Professor universitário.

Walter Matias Lima

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), no Programa de Pós-Graduação em Educação. Linha de pesquisa: Processos educativos. Grupo de pesquisa: Filosofia e Educação e Ensino de Filosofia.

Publicado
2019-08-26
Como Citar
CAMPOS, Ibrahim Camilo Ede; LIMA, Walter Matias. ORIENTAR-SE NOS HORIZONTES EPISTEMOLÓGICOS DA EXPERIÊNCIA: PROBLEMATIZAÇÃO E ETOPOIESE EM MICHEL FABRE. Práxis Educacional, [S.l.], v. 15, n. 34, p. 232-245, ago. 2019. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5507>. Acesso em: 18 set. 2019.