PROGRAMA PAULISTA LER E ESCREVER E O TRABALHO DOCENTE: ENTRE ORIENTAÇÕES E PADRONIZAÇÕES

Resumo





Este artigo teve como por objetivo geral identificar a concepção de docente presente no Programa Ler e Escrever, expondo algumas implicações dessa política para o trabalho do professor. A partir de pesquisa bibliográfica e documental, verificou-se que as orientações e prescrições dadas aos docentes nos escritos dos documentos encaminham para a padronização do trabalho do professor, restringindo-o a instruções, dicas, sugestões, orientações. Seu trabalho é subestimado e sua função é reduzida à colaborador do material, tornando o Programa o centro do processo educacional, e o professor, coadjuvante.





DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Possui doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2008) e mestrado em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003). Atualmente é professora associada da Universidade Federal de São Carlos e professora integrante do Programa de Pós-Graduação em Educação desta instituição .Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: política e gestão educacional brasileira e paulista, valorização docente, identidade da escola e do professor.

##submission.authorWithAffiliation##

Graduada em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Foi bolsista no Programa Instituição de Bolsas de Iniciação a Docência - PIBID por dois anos e bolsista voluntaria de Iniciação Científica da UFSCar pelo CNPq. Atualmente é Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Estuda o tema: Politicas Educacionais Paulista, com ênfase no Programa Ler e escrever e no trabalho docente.

Referências

BRANDÃO, Carlos da Fonseca; TREVELIN, Fátima Gil de Oliveira. O “Programa Ler e escrever” no contexto de uma escola municipal. RPGE– Revista online de Política e Gestão Educacional, v. 21 n. 1, p. 167-189, jan./abr. 2017. Disponível em: < https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9990/6597 > Acesso em: 03 dez. 2018.

CONSTANCIO, Alexandra Regina. A padronização do trabalho docente: crítica Programa Ler e Escrever. 2012. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Educação, São Paulo, 2012.

DAVID, Alessandra; LOURENCETTI, Gisela do Carmo. A supervisão de ensino no programa Ler e Escrever da SEE/SP: análise de termos de visita. In: Encontro Nacional de Educação - EDUCERE, Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação - SIRSSE, Seminário Internacional sobre Profissionalização Docente -SIPD/Cátedra UNESCO; Encontro Nacional sobre Atendimento. 7, 3, 5, 9. 2015, Curitiba, Anais... Curitiba: Educere, 2015, v. 1. p. 30508-30521. Disponível em < http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/19345_11603.pdf > Acesso em: 11 dez. 2018.

DUARTE, Newton. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. 4 ed. Campinas: Autores Associados, 2007.
MARTINS, Lígia Márcia. O legado do século XX para a formação de professores. In. MARTINS, Lígia Márcia; DUARTE, Newton (orgs.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 13-31.

RAMOS, Géssica Priscila. O professor na política educacional: tentativa de identidades forjadas? Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 28, p. 129/7-143, 2012. Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2018.

RAMOS, Géssica Priscila. A política educacional paulista (1995-2010) e seus impactos nas identidade da escola e do professor. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 29, p. 537-556, 2013. Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2019.

SAVIANI, Dermeval. Filosofia da educação brasileira. Org. Dermeval Saviani et al: coordenação de Durmeval Trigueiro Mendes. 2ª ed. – Rio de Janeiro, Civilização Brasileira: 1985.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 8ª ed. - São Paulo, Cortez/Autores Associados, 1985.
SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico crítica: Primeiras aproximações. 2ª ed. - São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1991.

SÃO PAULO (MUNICÍPIO) Secretaria da Educação. PORTARIA 6.328/05 – SME de 26- 9-2005. Institui, para o ano de 2006, o Programa "Ler e escrever - prioridade na Escola Municipal", nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental - EMEFs e Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio - EMEFMs. São Paulo, 2005. Disponível em: Acesso em: 30 out. 2018.

SÃO PAULO (ESTADO). Secretaria de Educação. Resolução SE - 86, de 19-12-2007. Institui, para o ano de 2008, o Programa “Ler e Escrever”, no Ciclo I das Escolas Estaduais de Ensino Fundamental das Diretorias de Ensino da Coordenadoria de Ensino da Região Metropolitana Grande São Paulo. São Paulo, 2007a. Disponível em: < http://siau.edunet.sp.gov.br/ItemLise/arquivos/86_07.HTM?Time=10/3/2012%2012>. Acesso em: 14 dez. 2018.

SÃO PAULO. (ESTADO) Secretaria da Educação. Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE). Programa Ler e Escrever. Apresentação. São Paulo: FDE, 2007b. Disponível: Acesso em: 10 dez. 2018.

SÃO PAULO (ESTADO). Secretaria da Educação. Orientações Curriculares do Estado de São Paulo: Língua Portuguesa e Matemática – Ciclo I / Secretaria da Educação, Coordenação, Neide Nogueira, Telma Weisz; Elaboração, Angela Maria da Silva Figueiredo e outros- São Paulo: FDE, 2008a.

SÃO PAULO (ESTADO). Secretaria da Educação. Ler e escrever: guia de planejamento e orientações didáticas; professor alfabetizador – 1a série / Secretaria da Educação, Fundação para o Desenvolvimento da Educação; adaptação do material original, Claudia Rosenberg Aratangy, Rosalinda Soares Ribeiro de Vasconcelos. - São Paulo : FDE, 2008b.

SÃO PAULO (ESTADO). Secretaria de Educação Básica. Resolução SE 96, de 23-12-2008. Estende o Programa “Ler e Escrever” para as Escolas Estaduais de Ensino Fundamental do Interior. São Paulo, 2008c. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2018.

SÃO PAULO (ESTADO) Secretaria da Educação. Expectativas de aprendizagem para o 1º ano do Ensino Fundamental de nove anos. Secretaria da Educação, Fundação para o Desenvolvimento da Educação; organização, Claudia Rosenberg Aratangy. São Paulo: FDE, 2009.

SÃO PAULO (ESTADO) Secretaria da Educação. Ler e escrever: caderno de planejamento e avaliação – professor alfabetizador – 1 a série / Secretaria da Educação, Fundação para o Desenvolvimento da Educação; organização, Claudia Rosenberg Aratangy. - 3. ed. São Paulo: FDE, 2010a.

SÃO PAULO (ESTADO) Secretaria da Educação. Ler e escrever: guia de planejamento e orientações didáticas; professor – 3ª série / Secretaria da Educação, Fundação para o Desenvolvimento da Educação; adaptação do material original, Marisa Garcia, Milou Sequerra. 2.ed. São Paulo: FDE, 2010b.

SÃO PAULO (ESTADO) Secretaria da Educação. Ler e escrever: coletânea de atividades – 1º ano / Secretaria da Educação, Fundação para o Desenvolvimento da Educação; concepção e elaboração, Claudia Rosenberg Aratangy; Milou Sequeira; Marisa Garcia. - São Paulo : FDE, 2011.

SÃO PAULO (ESTADO) Secretaria da Educação. Orientações didáticas fundamentais sobre as expectativas de aprendizagem de Língua Portuguesa / Secretaria da Educação, Coordenadoria de Gestão da Educação básica; elaboração: Kátia Lomba Bräkling; colaboração: Formadoras do Programa Ler e Escrever e Equipe CEFAI; supervisão: Telma Weisz. São Paulo, SEE: 2013.

SÃO PAULO (ESTADO) Secretaria da Educação. Ler e escrever: guia de planejamento e orientações didáticas; professor alfabetizador – 1º ano / Secretaria da Educação, Fundação para o Desenvolvimento da Educação; coordenação, elaboração e revisão dos materiais, Sonia de Gouveia Jorge... [ e outros]; concepção e elaboração, Claudia Rosenberg Aratangy...[e outros]. - 4. ed. rev. e atual. - São Paulo: FDE, 2014.

SÃO PAULO (ESTADO) Secretaria da Educação. Ler e escrever: guia de planejamento e orientações didáticas; professor – 4º ano / Secretaria da Educação, Fundação para o Desenvolvimento da Educação. – 7. ed. rev. e atual. São Paulo: FDE, 2015.

SOUZA, Tatiana Palamini. O trabalho docente e os programas de formação continuada para professores alfabetizadores 2015. 105 f. Dissertação (mestrado) – Universidade Metodista de Piracicaba, Educação, 2015.

TASSONI, Elvira Cristina Martins; MEGID, Maria Auxiliadora Bueno Andrade. A formação de professores alfabetizadores e o programa Ler e escrever. ETD – Educ. Temat. Digit. Campinas, SP, v. 17 n. 1 p. 193-210 jan./abr. 2015.

VILLALOBOS, Isabel. Análise da fundamentação dos materiais didáticos do Programa Ler e Escrever da Prefeitura de São Paulo/ SP. 2014. 267 f. Tese (Doutorado em educação). Programa de Pós-Graduação em Educação. Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2014.

ZOCCAL, Sirlei Ivo Leite. A relação dos professores alfabetizadores com o saber no contexto do “Programa Ler e Escrever”. 2011. 189 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Católica de Santos, Programa de Mestrado em Educação, Santos: 2011.
Publicado
2020-07-01
Como Citar
RAMOS, Géssica Priscila; SILVA, Letícia Laís da. PROGRAMA PAULISTA LER E ESCREVER E O TRABALHO DOCENTE: ENTRE ORIENTAÇÕES E PADRONIZAÇÕES. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 40, p. 554-572, jul. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5182>. Acesso em: 10 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i40.5182.