Concepções de Educação Infantil em imagens: docência performática e ativismo pedagógico no Facebook

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v20i51.12899

Palavras-chave:

práticas pedagógicas, ativismo pedagógico, mídia, educação infantil

Resumo

O objetivo do artigo é problematizar a intensificação da docência na Educação Infantil radicada num modelo performático, dedicado a divulgar via redes sociais atividades desenvolvidas com as crianças, ao que nomeamos de ativismo pedagógico. A pesquisa, de caráter quali-quantitativo, assume uma natureza bibliográfica, exploratória e documental, e debruça-se sobre a análise e descrição de um conjunto de imagens que representam práticas educativas veiculadas nas páginas oficiais do Facebook de quase ¼ do total de instituições de uma cidade de médio porte no estado do Paraná. Esse fenômeno, presente em nosso tempo, refere-se à necessidade de conceder demasiada visibilidade e comprovação das ações e práticas, as quais analisadas sob o viés crítico nos revelam as concepções que permeiam o trabalho pedagógico. Apontam, ainda, que as práticas invisibilizam e silenciam crianças e professores, que se tornam reféns do produtivismo que constrange os processos criativos e imaginativos tanto da docência quanto dos sujeitos infantis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aliandra Cristina Mesomo Lira, Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora Associada do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste/Unicentro, Guarapuava/PR. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil/Gepedin/Unicentro/CNPq.
Contribuição de autoria: Construção da escrita, geração e análise dos dados; revisão crítica de conteúdo intelectual, aprovação final da versão a ser publicada

Diego Paiva Bahls, Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil

Doutorando em Educação na Universidade Estadual do Centro-Oeste/Unicentro. Mestre em Educação pela UFPR. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil/Gepedin/Unicentro/CNPq.
Contribuição de autoria: Construção da escrita, geração e análise dos dados; revisão crítica de conteúdo intelectual, aprovação final da versão a ser publicada.

Leandra Souza Machado, Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil

Doutoranda em Educação na Universidade Estadual do Centro-Oeste/Unicentro. Mestre em Educação pela Unicentro. Professora da rede municipal de Guarapuava/PR.

Contribuição de autoria: Construção da escrita, geração e análise dos dados; revisão crítica de conteúdo intelectual, aprovação final da versão a ser publicada.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; COSTA, Alan Victor Pimenta de Almeida Pales. O fotógrafo, a educação infantil e a pandemia. Humanidades & Inovação, Palmas, v. 08, n. 33, p. 290-300, abr. 2021. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/4212. Acesso em 22 ago. 2022.

ALVES, Rubem. A Escola Ideal. Entrevista com Rubem Alves. 2014. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/educacao/2014/07/portal-brasil-resgataentrevistacom-rubem-alves. Acesso em: 29 ago. 2022.

ARAÚJO, Ellen Tallita Hill; ALMEIDA, Camila Aparecida Pinheiro Landim; VAZ, Jaiana Rocha; MAGALHÃES, Edilane Jales Leite; ALCANTARA, Carlos Henrique Lima; LAGO, Eliana Campêlo. Utilização de redes sociais para coleta de dados em produções científicas na área da saúde: uma revisão integrativa da literatura. Aquichan, Colombia, v. 19, n. 2, p. 1-12, maio 2019. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=7073151. Acesso em: 04 ago. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, dez. 2017.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. Como vai a arte na Educação Infantil? Apoteke, Florianópolis, v. 5, n. 3, ano 5, 2019. DOI: 10.5965/24471267532019010. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/16827. Acesso em: 14 fev. 2024.

DAVID, Priscila Barros; FILHO, Edgar Marçal de Barros; CARVALHO, Windson Viana de; MENDES, Débora Lúcia Lima Leite. Ensino remoto emergencial na educação infantil: experiência em escolas privadas. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 32, n.p., 2021. DOI: 10.18222/eae.v32.8335. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/eae/article/view/8335. Acesso em: 10 ago. 2022.

DEWEY, John. Experiência e educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1974.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário da língua portuguesa. 5. ed. Curitiba: Positivo, 2010.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault e a análise do discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 114, p. 197-223, nov. 2001. DOI: 10.1590/S0100-15742001000300009. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0100-15742001000300009&script=sci_arttext. Acesso em: 15 jun. 2020.

FOUCAULT, Michel. Segurança, Território, População. Curso no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MARCELLO, Fabiana de Amorim. Cinema e educação: da criança que nos convoca à imagem que nos afronta. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 38, p. 343-357, maio/ago. 2008. DOI: 10.1590/S1413-24782008000200011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/4rvJC6K3bJxWbnTmXP4cQvS/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 22 ago. 2022.

MAZZEI, Victor Reis; MARTINS, Rodrigo Lema Del Rio; NETO, Amarílio Ferreira; MELLO, André da Silva. “Com olhos de criança”: a escolarização da infância nas charges de Francesco Tonucci. Imagens da Educação, Maringá, v. 10, n. 3, p. 143-161, set./dez., 2020. DOI: 10.4025/imagenseduc.v10i3.48726. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ImagensEduc/article/view/48726. Acesso em: 10 ago. 2022.

MELO, Vanessa Galindo Alves de; ALMEIDA, Juliana Silva; SALLES, Conceição Gislaine Nóbrega Lima de. “Porque se sujar faz mais alegria! A hospitalidade dos dizeres das crianças e da infância para pensar o currículo. Debates em Educação, Maceió, v. 14, n. 34, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n34p21-36. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13406. Acesso em: 14 fev. 2024.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

MORAES, Dirce Foletto; MELLO, Diene Eire. O ensino de conceitos na universidade: o Facebook como instrumento de mediação didática colaborativa. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 2, p. 361-384, abr./jun. 2020. DOI: 10.21723/riaee.v15i2.12391. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12391. Acesso em: 19 abr. 2023.

MOREIRA, José António; JANUÁRIO, Susana. Redes sociais e educação: reflexões acerca do Facebook enquanto espaço de aprendizagem. In: PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa Oliveira dos (org.) Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar. Campina Grande: EDUEPB, 2014. p. 67-84. Disponível em: https://books.scielo.org/id/c3h5q/05. Acesso em: 19 abr. 2023.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Do cinzento ao multicolorido: linguagem oral, linguagem escrita e prática pedagógica na educação infantil. In: OSTETTO, Luciana Esmeralda; LEITE, Maria Isabel (org.). Arte, infância e formação de professores. Campinas: Papirus, 2004. p. 79-95.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Planejamento na educação infantil: mais que a atividade a criança em foco. In: OSTETTO, Luciana Esmeralda (org.). Encontros e encantamentos na educação infantil: partilhando experiências de estágios. Campinas: Papirus, 2012. p. 175-200.

PASTORE, Marina Di Napoli. Infâncias, crianças e pandemia: em que barco navegamos. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, São Carlos, v. 29, p 1-14, 2021. DOI: 10.1590/2526-8910.ctoEN2116. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cadbto/a/YH4Ln7JjzzQn3CdhCskYpCz/abstract/?lang=en. Acesso em: 10 ago. 2022.

PEREIRA, Fabio Hoffmann. Campos de experiência e a BNCC: um olhar crítico. Zero-a-seis, Florianópolis, v. 22, n. 41, p. 73-89, jan./jul. 2020. DOI: 10.5007/1980-4512.2020v22n41p73. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2020v22n41p73/43045. Acesso em: 08 ago. 2022.

SANTOS, Natália Scheuermann dos; CARVALHO, Rodrigo Saballa de. Educação Infantil, docência e arte contemporânea: encontros entre crianças e instalações efêmeras de jogo. Pró-Discente: Caderno de Produção Acadêmico-Científica, Vitória, v. 29, n. 1, p. 32-51, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/prodiscente/article/view/42985. Acesso em: 15 fev. 2024.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Alô, quem fala? Por mapa da infância brasileira. In: Quem está na escuta? Diálogos, reflexões e trocas de especialistas que dão vez e voz às crianças. Mapa da Infância Brasileira (MIB), 2016. Disponível em: http://primeirainfancia.org.br/wp-content/uploads/2016/11/T300000001836-0-Mapa_infancia-000.pdf. Acesso em: 10 ago. 2022.

SILVA, Marcelo Oliveira da; CARVALHO, Rodrigo Saballa de; LOPES, Amanda de Oliveira. Os manuais e a pedagogização da docência na Educação Infantil. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 29, n. 2, p. 177-191, maio/ago. 2021. DOI: 10.17058/rea.v29i2.14327. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/14327. Acesso em: 19 ago. 2022.

TONUCCI, Francesco. Entrevista. Los niños han echado de menos a sus amigos y han acabado hartos de deberes, jun. 2020. Disponível em: https://eldiariodelaeducacion.com/2020/06/18/los-ninos-han-echado-de-menos-a-sus-amigos-y-han-acabado-hartos-de-deberes/. Acesso em: 26 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2024-06-17

Como Citar

LIRA, A. C. M.; BAHLS, D. P.; MACHADO, L. S. Concepções de Educação Infantil em imagens: docência performática e ativismo pedagógico no Facebook. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 20, n. 51, p. e12899, 2024. DOI: 10.22481/praxisedu.v20i51.12899. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/12899. Acesso em: 18 jul. 2024.