Casa familiar rural (CFR) de Santarém-Pará: práticas, resistência e luta emancipatória

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v18i49.11301

Palavras-chave:

práticas escolares, instituição educacional-Casa Familiar Rural, movimento social do campo

Resumo

Este estudo partiu da busca de compreensão de práticas escolares e de experiências na Instituição Casa Familiar Rural (CFR) de Santarém, considerando a perspectiva diferenciada enquanto resistência ao projeto homogeneizador dominante. A proposta educacional Casa Familiar se desenvolveu inicialmente na França (1935); Itália (1960) e no Brasil/Espírito Santo (1969) sendo criada pelo movimento social do campo para acesso à educação e se contrapondo ao modelo urbanocêntrico excludente. Alterna educação e trabalho em tempos formativos de teoria e prática para a formação integral dos jovens. A pesquisa que deu suporte às análises foi realizada a partir de outros estudos sobre o tema, documentos e obtenção de informações na instituição estudada, por meio de entrevistas e visitas de campo. No texto, destacamos as contradições entre discursos e práticas na relação entre Estado e movimento social, compreendendo as marchas e contramarchas na construção da política educacional do campo. A análise de documentos oficiais e entrevistas permitiram concluir que na relação com o poder estatal, a CFR contribui nas lutas da constituição do poder local para a emancipação humana da coletividade do campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Glez Rodrigues Freitas Bentes, Universidade Federal do Oeste do Pará - Brasil

Glez Rodrigues Freitas Bentes. Mestre em Educação pela Universidade Federal do Oeste do Pará (2016). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas HISTEDBR/UFOPA. Contribuição de autoria: escrita-primeira redação, edição, investigação. http://lattes.cnpq.br/3885122952662311

Anselmo Alencar Colares, Universidade Federal do Oeste do Pará - Brasil

Anselmo Alencar Colares. Doutor em Educação. Professor Titular da Universidade Federal do Oeste do Pará. Bolsista Produtividade CNPq. Líder do HISTEDBR/UFOPA”. Contribuição de autoria: escrita, supervisão, revisão. https://lattes.cnpq.br/1107767923215438

Referências

ARCARFAR/PARÁ. CASA FAMILIAR RURAL DE SANTARÉM. Projeto Político Pedagógico: Uma construção coletiva da CFR-STM. Santarém, 2009. Digitado.

ARCARFAR/PARÁ. CASA FAMILIAR RURAL DE SANTARÉM. Relatório de Atividades Anual da Casa Familiar Rural de Santarém. Santarém, 2014. Digitado.

ARROYO, Miguel Gonzalez; MANÇANO, Bernardo. A educação básica e o movimento social do campo. Brasília: Articulação Por uma Educação do Campo, 1999. (Coleção Por uma Educação do Campo, v. 2).

ASSOCIAÇÃO DA CASA FAMILIAR RURAL DE SANTARÉM. Ata de constituição da Associação da Casa Familiar Rural de Santarém de 26 de abril de 1999. Sede da Colônia de Pescadores Z-20, Santarém, 1999.

COSTA, Horácio Martins de; CARVALHO, Francisco de Assis. Agricultura Camponesa In. CALDART, Roseli Salete et al (org.) Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012.

BARBOSA, Lia Pinheiro Barbosa; ROSSETEL, Peter Michael. Movimentos sociais e educação do campo na américa latina: aprendizagens de um percurso histórico. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 13, n. 26, p. 22-48, set./dez. 2017. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/2819/3820 Acesso em: 09 nov. 2021.

BEGNAMI, João Batista; BURGHGRAVE, Thierry de. Pósfácio de Atualização. Construção da Pedagogia da Alternância no Brasil: desafios e perspectivas. In: NOSELLA, Paolo. Origens da Pedagogia da Alternância no Brasil. Vitória: EDUFES, p. 251-274, 2012.

BENTES. Antonio José Mota. Pedagogia da Alternância em Santarém. Santarém: [s.n], 2015.

CALDART, Roseli Salete (org.). Elementos para a construção de um projeto político pedagógico da Educação do Campo. In: MOLINA, Mônica Castagna; JESUS, Sonia Meire Santos Avezedo de. Por uma Educação do Campo: contribuições para a construção de um Projeto de Educação do Campo. Brasília: Articulação Nacional “Por uma Educação Básica do Campo”, 2004. (Coleção por uma Educação do Campo), nº. 5.

HAGE, Salomão M. A importância da articulação na construção da identidade e pela luta da educação do campo. Bragança/PA, 2005. Disponível em www.pa.gov.br/.../procampo/. Acessado no dia 1 de julho de 2009.Educação Básica do Campo”, 2004. (Coleção por uma Educação do Campo, nº. 5).

KOLLING, Edgar Jorge; CERIOLI, Paulo Ricardo; CALDART, Roseli Salete (org.). Educação do Campo: identidade e políticas públicas. Brasília: Articulação Nacional Por Uma Educação do Campo, 2002. (Coleção por uma educação do campo, v. 4.).

NOSELLA, Paolo. Origens da pedagogia da Alternância no Brasil. Vitória: EDUFES, 2014. (Coleção Educação do Campo).

MAGALHÃES, Benedita Acidelma Coelho dos Santos. Educação do Campo, Poder local e Políticas Públicas: a Casa Familiar Rural de Gurupá-Pará, uma construção permanente. 2009. 132f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2009.

PIZETTA, Adelar João. Um olhar sobre a formação de educadores: o fazer-pensar da utopia. Revista Práxis Educacional. Vitória da Conquista, v. 13, n. 26, p. 74-91, set./dez. 2017 Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/2821 Acesso em: 09 nov.2021

SANFELICE, José Luis. Da escola pública estatal burguesa à escola democrática e burguesa: considerações historiográficas. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura Nascimento. (org.). A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas: Autores Associados, 2005.

SILVA, Lourdes Helena da. As experiências de formação de jovens do campo: alternância ou alternâncias? Viçosa: EFV, 2003.

SILVA, Vicente de Paulo Borges Virgolino da. A pedagogia da alternância frente às Pedagogias Modernas. In: I Encontro de Pesquisas e Práticas em Educação do campo da Paraíba, UFPB: João Pessoa, 2011.

Downloads

Publicado

2022-11-16

Como Citar

BENTES, G. R. F.; COLARES, A. A. Casa familiar rural (CFR) de Santarém-Pará: práticas, resistência e luta emancipatória. Práxis Educacional, [S. l.], v. 18, n. 49, p. e11301, 2022. DOI: 10.22481/praxisedu.v18i49.11301. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/11301. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Seção Temática

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)